Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Neste sábado, dia 01 de setembro, às 12h, acontecerá no calçadão de Londrina (próximo ao Banco do Brasil), a estreia do espetáculo “Poesia Abre Alas”, montagem de rua encenada pelos educandos do Curso Técnico em Teatro, do Centro Educacional Marista Irmão Acácio (em caso de chuva a apresentação será cancelada).

O espetáculo de rua “Poesia Abre Alas” é resultado da disciplina Montagem Teatral, aplicada no 2º Módulo do Curso Técnico em Teatro. O curso, voltado para adolescentes de 14 até 18 anos que estejam cursando Ensino Médio e que tenham renda per capita de até 1 salário mínimo e meio, é totalmente gratuito e tem duração de dois anos.

Durante o processo de montagem, os jovens atores-estudantes puderam vivenciar todas as etapas de criação e elaboração relacionadas as linguagens cênicas que compõem um espetáculo teatral. Na disciplina Maquiagem e Caracterização, ministrada pela educadora Taiane Marques, foram feitos estudos sobre a fusão das linhas de expressão do rosto com símbolos e sentimentos que caracterizam cada personagem. Já na disciplina Concepção e Produção Cultural, ministrada pela educadora Juliana Matta, os educandos, além de terem orientações sobre atuação e direção, trabalharam na customização dos figurinos e objetos de cena.

O educador responsável pela dramaturgia e direção cênica, Everton Bonfim, explica que durante o processo de criação da montagem “Poesia Abre Alas”, os alunos realizaram estudos focados em técnicas de atuação para o teatro de rua, passando por preparo físico, dilatação corporal, projeção e afinação vocal, canto, evoluções por meio de coro cênico, pirâmides de equilíbrio e acrobacias circenses. “Os desenhos de cena foram criados a partir de poemas transformados em canções. Na peça, a Poesia é personificada, ganha corpo e voz para falar dos excluídos e marginalizados, da censura que oprime e da importância de ocuparmos os espaços públicos com nossa arte e livre expressão” diz, Bonfim.

Sinopse do espetáculo:

A poesia segue resistindo contra o golpe desferido pelas costas da nação; caminha com sua arte pelas praças e avenidas da cidade, anunciando a chegada do verso escrito a mão, feito de rimas transparentes e sentimentos genuínos. A poesia abre alas para os manifestos poéticos e pacíficos, feitos de imagens efêmeras, cores, subjetividades e corpos aquecidos. Em cena, jovens atores-estudantes, dispostos a trocar e vivenciar novos aprendizados por meio do teatro de rua, representam a voz da juventude que não se cala diante dos desmontes da vida.

Asimp/Centro Educacional Marista Irmão Acácio

Foto:Rafael Teixeira

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios