Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Espetáculo cênico-musical “Censurar Ninguém se Atreve” faz uma homenagem divertida ao universo das músicas bregas e uma rádio típica brasileira dos anos 40

O espetáculo cênico-musical “Censurar Ninguém se Atreve” é uma homenagem divertida do Grupo Vocal Entre Nós ao universo das músicas bregas brasileiras. Portanto, se o termo “brega” pode soar pejorativo, é com muito carinho que o grupo usa esse termo. Mais que um gênero específico, o brega diz respeito àquelas músicas românticas – geralmente dramáticas e por vezes até trágicas – que fizeram muito sucesso nas rádios brasileiras, sobretudo entre os anos 50 e 80. É nessa atmosfera, então, que o grupo fecha o calendário 2019 com a apresentação do espetáculo amanhã, dia 18 (quarta-feira), às 21h30, no Bar Valentino (rua Prefeito Faria Lima, 486). A direção musical é de Monique Kodama e a direção cênica de Silvio Ribeiro. O valor da entrada é R$ 15,00 (couvert artístico ou ingressos antecipados).

No repertório estão clássicos como as canções “Pare de tomar a pílula”, “Por que brigamos?”, “O meu sangue ferve por você”, “Fuscão Preto”, entre outros sucessos. Grande parte dos arranjos para canto coral foram feitos de forma coletiva ou pelos integrantes Flávio Collins e Bruno Bazé, que deram um caráter especial a algumas canções, como é o caso da versão música “Censurar Ninguém se Atreve", de Simone Mazzer e Silvio Ribeiro, escrita na década de 1990 e gravada pela extinta banda "Chaminé Batom" (Londrina/PR), que era liderada por Simone. Neste arranjo que o grupo gravou com a cantora, a versão ganhou linhas melódicas para quatro vozes, além de trechos conhecidos de outras músicas bregas.

Em meio às músicas, na parte cênica, o espetáculo “Censurar Ninguém se Atreve” apresenta os bastidores de uma típica rádio brasileira do período anterior à popularização da televisão. Nessa história será possível relembrar as tão prestigiadas rádio-novelas com seus enredos românticos, os divertidos programas de auditório, algumas chamadas publicitárias bem ao gosto da época e, claro, muita música. Certamente, esta é uma apresentação que garante boas risadas e que todo o público canta junto com o grupo. A banda que acompanha é formada por Thiago Marconato (piano) e Daniel Cavalini (guitarra).

Trajetória do grupo

Fundado em 2010, o “Grupo Vocal Entre Nós” é formado, em sua maioria, por alunos e ex-alunos de diversos cursos da Universidade Estadual de Londrina (UEL), principalmente, do curso de Música e conta, atualmente, com 14 cantores. Grande parte possui experiência em canto coral desde a infância/adolescência, além de estudos em instrumentos harmônicos e melódicos. No início das atividades, o objetivo do grupo era o estudo da interpretação de arranjos vocais próprios para a formação de grupo vocal, inspirado em arranjadores de destaque como Marcos Leite, Pablo Trindade e Celso Branco.

No entanto, após quatro anos de trabalho apenas vocal, o grupo passou a realizar um trabalho independente e com uma proposta interdisciplinar, unindo, então, a música ao teatro em suas apresentações, algo que, além de enriquecer o trabalho realizado, trouxe um novo público. Desde então, já montou seis espetáculos, dentre eles “Conversa de Botequim”, “Entre Nós in Concert”, “O Grande Circo Místico” e “Censurar Ninguém se Atreve”, “Morte e Vida Severina” e “Elis Entre Nós”, todos com preparação vocal de Monique Kodama e direção cênica de Silvio Ribeiro, diretor da Escola Municipal de Teatro de Londrina.

Marian Trigueiros/Asimp

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios