Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O destaque desta edição é a qualidade dos projetos científicos participantes

A edição 2019 da Feira Cultural e Experimentos Científicos do Colégio Londrinense (Feccilon) será realizada no dia 28 de setembro, das 9h às 16h, no Ginásio Colégio Londrinense, e já está mobilizando alunos e professores da Educação Infantil, Fundamental I e II e Ensino Médio.

O tema geral dos projetos deste ano é “Linguagens que Constroem Relações”, e trabalha com o objetivo de levar os alunos a compreender o dia a dia por meio da ciência, experimentando e testando hipóteses; contribuir com a sociedade através da busca por soluções que resultem em descobertas e aplicações práticas a fim de minimizar problemas sociais, ambientais e econômicos; criar o hábito de questionar e investigar diferentes situações do cotidiano; e, finalmente, promover a divulgação científica.

Os alunos desenvolveram os trabalhos com a metodologia STEAM, que integra as áreas das Ciências, Exatas, Arte e Tecnologia para projetos aplicáveis no cotidiano. “A grande maioria dos projetos tem essa característica e, também porque nós já trabalhamos neste recorte. Trata-se de uma metodologia mais aplicada em sala de aula, para que o aluno compreenda melhor o conteúdo ensinado”, explica o professor Murillo Rodrigues.

Projetos de qualidade

A Feira revela-se como um ambiente propício para o desenvolvimento da curiosidade, da criatividade e da investigação científica, e as aulas de Iniciação Científica são como um start para este processo. Segundo o professor Murillo Rodrigues, a qualidade dos temas propostos neste ano surpreendeu a todos de forma positiva.

“Acreditamos que o engajamento na área metodológica fez com que houvesse esse crescimento, não somente na área das ciências, mas em cinco áreas do conhecimento. Ampliamos o leque de propostas. Se antes tínhamos que direcionar temas para que os alunos trabalhassem, agora temos percebido claramente uma mudança, ao verificar a questão do protagonismo dos alunos quando eles questionam ‘eu tenho a minha ideia e quero desenvolvê-la”.

O professor Murillo avalia que o mérito para a diversidade de propostas científicas apresentadas deve-se ao ambiente que o Colégio Londrinense e o Anglo Londrinense proporcionam. “Instigamos a todo momento a curiosidade e a criatividade dos alunos. Como consequência, temos projetos com muita qualidade propostos pelos estudantes”.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.