Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

“Homens que caem”, dramaturgia da francesa Marion Aubert traduzido por Renato Forin Jr. dentro do projeto A Nova Dramaturgia Francesa e Brasileira, é atração do Festival de Dança nesta sexta (13). Leitura dramática leva à cena atores da Cia Indeterminada  (Porto Alegre-RS)

O texto “Homens que Caem” (Des hommes qui tombent), da autora francesa Marion Aubert com tradução do dramaturgo Renato Forin Jr. (Londrina-PR) parte do romance “Nossa Senhora das Flores”, obra-prima do escritor maldito Jean Genet, publicado pela primeira vez em 1943. Neste trabalho de Marion, de 2016, os integrantes de uma companhia de teatro contemporâneo vivem na carne as angústias, os desejos, o preconceito e a marginalização explorados pelo autor francês. Na programação de Extensão Especial de Aniversário de Londrina do 17º Festival de Dança de Londrina, a leitura dramática desta obra, dirigida por Forin Jr., será realizada pelos integrantes da Cia Indeterminado (Porto Alegre), no dia 13 de dezembro, às 18h, no Sesc Cadeião. A atividade é gratuita, mas os ingressos precisam ser retirados pela Portal Sympla. Depois da leitura, acontece o lançamento do livro lançado pela Editora Cobogó.

A leitura dramática faz parte do projeto de intercâmbio e internacionalização “A Nova Dramaturgia Francesa e Brasileira”, do Núcleo dos Festivais Internacionais de Artes Cênicas do Brasil, La Comédie de Saint-Étienne, Instituto Francês e Embaixada da França no Brasil. A iniciativa bilateral iniciou em 2019 com oito textos de autores franceses contemporâneos que foram traduzidos por diretores-autores brasileiros. Publicadas pela Editora Cobogó, as obras estão sendo encenadas em leituras dramatizadas por grupos e artistas locais com a presença do autor francês em festivais que compõem o Núcleo.

Para realizar as traduções dos textos franceses foram convidados os brasileiros Alexandre Dal Farra, Gabriel F., Grace Passô, Jezebel de Carli, Márcio Abreu, Pedro Kosovski, Quitéria Kelly e Henrique Fontes (Grupo Carmim) e Renato Forin Jr. Já na segunda etapa, em 2020, num movimento de reciprocidade e cooperação, autores brasileiros terão seus trabalhos traduzidos, publicados e encenados na França, no Théâtre National de La Colline, em Paris, no Festival Actoral, em Marselha, e na Comédie de Saint-Étienne. “Homens que Caem” foi apresentada em Porto Alegre em Cena e será reexibida no Festival de Dança de Londrina com os atores Alexandre Borin, Ander Belotto, Diego Nardi, Iassanã Martins, Juçara Gaspar e Lauro Ramalho – integrantes da gaúcha Cia Indeterminada e convidados.

O pontapé inicial do projeto ocorreu este ano, na MITsp – Mostra Internacional de Teatro de São Paulo, com a publicação e leitura dramática da peça “É a Vida” (C’est la Vie), do dramaturgo francês Mohamed El Khatib, traduzida por Gabriel F., de Brasília. Durante a edição 50+1 do FILO, realizada em agosto deste ano, foi realizada a leitura dramática e lançamento do livro “Onde e Quando Nós Morremos” (Où Et Quand Nous Sommes Morts), de Riad Gahmi (França), com tradução do Grupo Carmin (Brasil) e participação de atores de Londrina. Na segunda etapa, o texto “OVO”, do dramaturgo londrinense Renato Forin, será traduzido em francês e apresentado no país.

O Núcleo dos Festivais Internacionais de Artes Cênicas do Brasil trabalha na efetivação da exportação das Artes Cênicas e, para os próximos anos, o projeto de Internacionalização da Dramaturgia prevê a aplicação dos territórios através de ações com Holanda e Argentina. O objetivo do Núcleo com esse projeto é potencializar a articulação internacional deste tipo de projeto, cumprindo o papel de embaixador da cultura brasileira, já que ações dessa natureza contribuem, também, para o desenvolvimento socioeconômico das artes da cena e o crescimento do país por meio de processos de internacionalização.

A autora

Marion Aubert (Aurillac, 1977) ganhou o Prêmio Novo Talento pela Societé des Auteurs et Compositeurs Dramatiques em 2013. É autora de mais vinte peças de teatro, todas publicadas pela Actes-Sud. Seu tom mordaz, seu gosto por afrescos compostos por vários personagens e sua escrita tragicômica, ao mesmo tempo lírica e burlesca, fazem dela uma das autoras mais surpreendentes de sua geração. Entre suas peças mais importantes estão Les histrions; Orqueil, poursuite et décapitatione Tumultes.

O tradutor

Renato Forin Jr. é dramaturgo, diretor e pesquisador, com doutorado em Letras pela Universidade Estadual de Londrina (UEL), onde também atua como professor. Em 2016, publicou o livro-CD Samba de uma noite de verão, dramaturgia contemplada com o 59º Prêmio Jabuti. É membro-fundador do Agon Teatro, grupo de pesquisa sobre as formas contemporâneas do texto dramático. Entre suas dramaturgias mais importantes está “OVO”, de 2017, que será traduzido na segunda etapa na França.

Cia. Indeterminada

A Cia. Indeterminada surgiu em 2017 da união de artistas independentes e egressos do cursos de graduação e pós-graduação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). O marco inicial da companhia foi a I Mostra de Repertório realizado no mesmo ano que levou ao público três espetáculos na Sala Álvaro Moreyra: “Carícias”, “Jacques ou toda a tradição está comigo” e “Expedição Monstro”. O ano de 2018 foi marcado pela estreia de "Remontagem - O nosso amor a gente inventa", com direção de Ander Belotto. O espetáculo fez parte das pesquisas de mestrado tanto do diretor quanto do ator Diego Nardi. Ainda em 2018, “Remontagem” e “Expedição Monstro” realizaram diversas apresentações na cidade e também pelo interior do estado. A Cia. recebeu indicações no Prêmio Açorianos de Teatro e Prêmio Tibicuera de Teatro Infanto-Juvenil, recebendo quatro prêmios.

Programação completa: www.festivaldedancadelondrina.art.br

Renato Forin Jr./Asimp

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios