Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A Fundação Nacional de Artes anunciou a prorrogação, "em caráter excepcional", das bolsas de estudos dos alunos da turma 2019/2021 do Curso Técnico em Arte Circense da Escola Nacional de Circo/Funarte. A decisão, que entra em vigor a partir de amanhã, 18 de agosto, leva em consideração as resoluções estabelecidas sobre atividades pedagógicas e presenciais de estudantes, servidores e terceirizados, devido ao "isolamento social necessário ao combate à pandemia da covid 19" e o comprometimento do desenvolvimento regular das aulas.

Possibilitando a conclusão do curso técnico de artes circenses, a Funarte amplia em sete meses a vigência da bolsa, dando condições para que os alunos cumpram a obrigação legal de conclusão do curso. A medida atende aos bolsistas com matrículas ativas, que tenham a frequência mínima obrigatória e coeficiente de rendimento satisfatório, conforme disposto em edital.

De acordo com a portaria, a determinação busca atender "às necessidades de financiamento dos alunos da turma 2019/2021 para o desenvolvimento ou a conclusão dos respectivos cursos".

Os alunos devem assinar um Termo de Adesão à Portaria, que será disponibilizado pela Secretaria Escolar da Escola Nacional de Circo/Funarte entre 18 e 20 de agosto.

O Curso Técnico em Arte Circense foi estabelecido pela Funarte em cooperação com o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro (IFRJ). A consolidação do calendário de aulas ou a adaptação da grade curricular ficam sob a responsabilidade do IFRJ. A Escola Nacional de Circo/Funarte deve acompanhar o calendário geral do Instituto e fornecer os meios para a realização da grade curricular.

O Presidente da Funarte, Tamoio Athayde Marcondes, reafirma o compromisso com a Escola Nacional de Circo e sua importante história, informando que “será iniciada a elaboração de um plano de trabalho a ser firmado em nova relação jurídica junto à IFRJ, a fim de possibilitar a realização dos cursos vindouros atendendo aos princípios da administração pública, o interesse público e garantindo uma Escola Nacional de Circo de excelência”.

Escola Nacional de Circo

Inaugurada em 1982 e criada pelo circense Luiz Olimecha e pelo produtor cultural Orlando Miranda – então presidente do Instituto Nacional de Artes Cênicas, incorporado à Funarte –, a instituição prepara artistas profissionais para atuar em circos de lona e em diversos setores das artes e cultura. Desde 2015, o Curso Técnico em Arte Circense, oferecido pela entidade, é reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC). A escola é referência para toda a América Latina no campo da formação em Circo.

Ascom/Funarte

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.