Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Idealizado para ser gravado em uma única tomada, como um único fôlego, o curta-metragem “Albedo” será rodado nas dependências do Cine Teatro Ouro Verde no próximo final de semana, dias 16 e 17 de outubro. Com patrocínio do Programa Municipal de Incentivo à Cultura (PROMIC) e apoio da Universidade Estadual de Londrina (UEL), o filme propõe um passeio pelos ambientes do edifício através de uma narrativa que mistura passagens ficcionais de três momentos da vida da personagem central da trama e reencenações de episódios emblemáticos da história do teatro, como a apresentação do dançarino japonês Kazuo Ohno no Festival Internacional de Londrina (FILO) de 1992, entre outras performances.

 “O filme atravessa praticamente todos os espaços do teatro seguindo o fio da personagem principal, Helena. Primeiro ela aparece como uma menina de 7 anos que vai com sua mãe à inauguração do Ouro Verde, então considerado um dos maiores e melhores cinemas da América Latina, em 1952. Depois, ela retorna ao teatro com aproximadamente 30 anos, já uma atriz de carreira nacional que volta a Londrina pela primeira vez como protagonista de uma grande peça. Por fim, ela ressurge aos 60 e poucos anos, agora como atriz consagrada que faz um monólogo em defesa da arte. Entremeando esta narrativa, teremos diversas performances que prestam homenagem a diferentes expressões artísticas que ocupam, há décadas, o mais importante aparelho cultural de nossa cidade”, explica o diretor Auber Silva, que também assina o roteiro do curta-metragem.

 “A ideia inicial para o filme surgiu em 2013, no ano seguinte ao incêndio que destruiu o Ouro Verde. Queríamos rodar essa história em meio aos escombros, ao que restou da estrutura, que é um patrimônio histórico, cultural e arquitetônico do nosso país. Queríamos trazer um pouco de vida ao então esqueleto do prédio que leva assinatura do arquiteto Vilanova Artigas e teve execução do engenheiro Rubens Cascaldi, dupla responsável pela grande arquitetura modernista de Londrina”, afirma. O projeto, no entanto, ficou parado até 2019, quando foi aprovado em um edital para produções audiovisuais do PROMIC, ainda com o título antigo, “Terceiro Sinal”. Com realização prevista para 2020, o curta-metragem teve sua pré-produção interrompida pela pandemia da covid-19, só sendo retomado no início do segundo semestre de 2021, diante de condições sanitárias mais favoráveis e seguras.

Produzido pela UABI Filmes, “Albedo” envolve cerca de 50 profissionais da cidade, entre equipe e elenco, em suas diferentes etapas de realização, da pré-produção à finalização. O filme deverá ser concluído em dezembro deste ano e será lançado em 2022, quando o Ouro Verde completa 70 anos.

 “Albedo” é o segundo capítulo de uma tetralogia em desenvolvimento. A primeira parte, o curta “Nigredo”, foi lançado em 2019 e teve circulação em festivais internacionais de Argentina, Colômbia e Espanha, entre outros países, ao longo dos últimos anos.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.