Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O cantor e compositor carioca Ivan Lins, um dos principais talentos da música popular brasileira, vencedor de vários Grammys, se une à Orquestra Sinfônica da UEL nesta sexta-feira (10), para fazer um show inédito em Londrina, no dia do aniversário da cidade, que está completando 87 anos.

A apresentação está marcada para às 20h30, no Teatro Ouro Verde, e é um presente para Londrina. O concerto faz parte da programação do 41º Festival Internacional de Música de Londrina (41º FIML), porém os ingressos estão esgotados, mas o show vai ser transmitido ao vivo, gratuitamente, pelo canal do Youtube do festival.

O estilo eclético de Ivan Lins, com a influência do jazz, samba, bossa nova, baião, xote e até o fado, se alinhou perfeitamente com a Orquestra Sinfônica da UEL, regida pelo maestro Alessandro Sangiorgi. No repertório da noite estão os grandes sucessos de Ivan Lins, que certamente irão agradar os fãs: “Começar de novo”, “Depois dos temporais”, “Madalena”, “Vitoriosa”, “Novo tempo”, “A gente merece ser feliz”, “Bandeira do divino”, “Iluminados”, “Quero falar de amor”, “Lembra de mim”, “Depende de nós”, “Desesperar, jamais”, entre outras.

 “Teremos um show bastante emocionante especialmente nesse formato com orquestra, com arranjos muito bonitos, um tipo de espetáculo que eu adoro fazer. O público vai ouvir meus grandes sucessos com arranjos grandiosos”, reforça o cantor Ivan Lins.

Popular e refinado

Ivan Lins ficou conhecido pelas inúmeras gravações de sua obra no mundo todo, por suas harmonias diferenciadas e por seus arranjos, ao mesmo tempo refinados e populares. Passou parte da infância nos Estados Unidos e é desde tempo que vem suas primeiras influências. Na volta ao Brasil, teve contato com os grandes intérpretes e as canções da época, além do fado que escutava em casa de seus avós. Mais tarde, o jazz e a música brasileira, em especial a bossa nova, se somariam a este caldeirão de influências.

Aos 18 anos, estudante universitário de Química, adotou o piano como seu instrumento e iniciou a carreira de compositor. Suas composições, com uma construção harmônica diferenciada, harmonizações e encadeamentos incomuns na música brasileira na década de 1970, fez dele um artista respeitado entre músicos do mundo inteiro.

Sucessos

Ivan também teve inúmeros sucessos como cantor e como compositor, entre eles “Madalena” (lançada pela inesquecível Elis Regina), “Abre Alas”, “Somos Todos Iguais Essa Noite”, “Começar de Novo”, “Dinorah, Dinorah”, “Bandeira do Divino”, “Bilhete”, “Vieste”, “Lembra de mim”, “Depende de nós”, “Novo Tempo”, “Meu País”, dentre outras.

Sua obra se renovou através dos anos, trazendo sempre novos valores musicais e ideais agregados, sem nunca perder a sua marca autoral, o seu DNA e sua originalidade. A partir dos anos 1980 seu trabalho teve uma grande repercussão internacional, principalmente nos Estados Unidos, onde foi e é gravado por grandes artistas como Sarah Vaughan, Quincy Jones, Ella Fitzgerald, Carmen McRae, George Benson, Lee Ritenour, Dave Grusin, Manhattan Transfer, Take 6, New York Voices, Sting, Diana Krall e Barbara Streisand.

Sua obra e seus temas musicais estão presentes em diversas trilhas para o cinema e TV. Com Vitor Martins compôs grande parte de seus sucessos, mas suas melodias também servem de base para letristas e poetas como Caetano Veloso, Dudu Falcão, Lia Luft, Elisa Lucinda, Paulo César Pinheiro, Celso Viáfora, Ronaldo Monteiro, Abel Silva, Martinho da Vila, Aldir Blanc, Chico Buarque, Moska, Nei Lopes, Chico César e Salgado Maranhão.

Grammy

Em 2005 gravou o CD e DVD “Cantando Histórias”, onde resgatou grandes sucessos de sua carreira com novos arranjos e com a participação de diversos convidados, o que lhe rendeu um disco e um DVD de ouro no Brasil e dois Grammys Latinos: o de melhor disco brasileiro e melhor disco do ano, prêmio máximo daquela academia, até hoje nunca recebido por outro artista de língua portuguesa. Vale lembrar ainda que em 1981, a música “Dinorah, Dinorah” ganhou também um Grammy de melhor arranjo instrumental de jazz com a gravação de George Benson; em 1982 a canção “Velas” recebeu o mesmo prêmio com a gravação de Quincy Jones e em 2004 Sting ganha o Grammy de melhor vocalista pop com “She Walks This Earth” de sua autoria.

Em 2009 ganhou mais um Grammy Latino com seu disco “Ivan Lins & The Metropole Orchestra”, gravado com essa orquestra holandesa e com arranjos e regência do maestro Vince Mendonza, grande nome da música mundial, tendo como convidados o guitarrista uruguaio Leonardo Amuedo, a cantora Trijintje Oosterhuis, o saxofonista Stefano Di Batista e o cantor português Paulo de Carvalho.

Música brasileira

Ivan Lins segue sendo carioca e brasileiro, fazendo canções inspirado na sua cidade e no seu país e por isso mesmo, cada vez mais universal. Seu trabalho o tem levado a tocar nos quatro cantos do mundo, seja acompanhado músicos locais, participando de festivais ou tocando com grandes orquestras e bandas. Onde se apresenta, leva consigo a música genuinamente brasileira, a melhor imagem de seu país.

Emilia  Miyazaki/Asimp

#JornalUnião

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.