Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Encontro, promovido pela Codel e Secretaria Municipal de Cultura, será nesta quinta-feira (7), no Sesc Londrina Cadeião

A Prefeitura de Londrina, por meio da Secretaria Municipal de Cultura (SMC) e do Instituto de Desenvolvimento de Londrina (CODEL) realiza, na quinta-feira (7), às 14h30, o Encontro da Economia Criativa. A reunião irá ocorrer no Sesc Londrina Cadeião, localizado na Rua Sergipe, 52. Estarão presentes o secretário de Cultura, Caio Julio Cesaro, a diretora de Ciência e Tecnologia da Codel, Renata Passi, e de Turismo, Maitê Morgana Uhlmann. Na ocasião, será apresentado o ecossistema de inovação da cidade ao diretor de planejamento e gestão da Fecomércio PR, Rodrigo Rosalem, cuja vinda à Londrina foi intermediada pelo ex-deputado federal, Alex Canziani.

Também devem comparecer representantes de entidades e associações da sociedade civil organizada, empresas e instituições ligadas à Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC). De acordo com a diretora de Turismo da Codel, a economia criativa está presente no cenário composto pelo ecossistema de inovação. “Trata-se do ambiente onde tudo acontece e é criado”, afirmou Maitê.

Segundo Renata, a expectativa é expor a riqueza do ecossistema de inovação londrinense ao diretor da Fecomércio PR, e criar oportunidades para que sejam firmadas novas parcerias. “Vamos mostrar a riqueza desse ecossistema, de forma a poder desenvolver ainda mais o tema da economia criativa”, citou.

A diretora de Ciência e Tecnologia da Codel lembrou que em várias ocasiões a cidade de Londrina se destacou enquanto polo de tecnologia e inovação. “Tivemos reconhecimento no estudo produzido pela Associação Brasileira de Startups em parceria com a agência Accenture, onde Londrina se mostrou a cidade paranaense com maior densidade de startups por habitante, o que também nos colocou entre as 20 cidades do país com melhor índice. O levantamento da Fundação Certi, divulgado em 2018, trouxe um relatório sobre nosso ecossistema, com vários dados interessantes, que justificam os investimentos do Sistema S na cidade, como o HUB de Inteligência Artificial e o Instituto de Tecnologia da Informação e Comunicação, ambos do Senai”, destacou.

Renata frisou também que, como parte do ecossistema de inovação no município, estão as políticas públicas executadas ou que estão sendo implementadas, como o Parque Tecnológico e o Tecnocentro, que vão sediar o Laboratório de Análise de Alimentos, entre outros. “Dentre esses ativos estão o edital de soluções inovadoras, o ISS Tecnológico e o ensino de empreendedorismo em todas as escolas municipais, por meio do Programa Jovens Empreendedores Primeiros Passos (JEPP), do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE). Contamos também com mais de 26 universidades e centros de formação em TIC, e mais de 100 pesquisadores com bolsas de produtividade nas áreas de tecnologia, ligados à Embrapa, UEL, Unopar, UTFPR e IAPAR”, acrescentou.

A cidade, que possui 1.515 empresas de Tecnologia da Informação (TI) instaladas, tem mais de 400 startups em atividade, e vários Arranjos Produtivos Locais (APLs). “Tudo isso, somado às políticas públicas, acaba sendo interligado e alinhado, de forma a criar um ambiente muito propício. E essa união de forças entre empresas, instituições de ensino e poder público, são o nosso grande diferencial, notado por todos os visitantes. Essa organização não é encontrada facilmente em outras cidades, o que torna as pessoas o nosso maior ativo, por fazerem tudo isso acontecer”, ressaltou Renata.

Juliana Gonçalves/NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios