Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

É um dos maiores prêmios brasileiros. Obra de Maurício Arruda Mendonça relata as aproximações entre contos escritos pelo escritor tcheco Franz Kafka, em alemão, e a filosofia do alemão Arthur Schopenhauer.

O livro “Kafka e Schopenhauer: zonas de vizinhança” (EDUEL, 2020) recebeu o prêmio Mário de Andrade da Biblioteca Nacional, na categoria Ensaio Literário. A obra, que ficou em primeiro lugar, relata as aproximações entre contos escritos pelo escritor tcheco Franz Kafka, em alemão, e a filosofia do alemão Arthur Schopenhauer.

De acordo com o autor do livro, Maurício Arruda Mendonça, a obra foi resultado de uma tese de doutorado apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Filosofiado Centro de Letras e Ciências Humanas (CCH), da UEL, orientada pelo professor aposentado Volnei Edson dos Santos. “No livro, exploro as relações entre os textos de ‘Na colônia penal’, ‘O castelo’ e do conto inconcluso ‘O caçador graco’, explicou Mendonça.

Para o pesquisador, que também é graduado em Direito pela UEL e dramaturgo, a premiação foi uma surpresa. “É um dos maiores prêmios brasileiros. Concorri com o propósito de ser avaliado e vencer foi uma surpresa bastante grande”, afirmou.

O prêmio recebido pelo autor, concedido aos vencedores em cada uma das oito categorias, é de R$ 30 mil.

A Fundação Biblioteca Nacional escolhe, anualmente, obras de grande destaque na literatura nacional, nas categorias Poesia, Romance, Conto, Tradução, Ensaio Social, Ensaio Literário, Literatura Infantil e Literatura Juvenil.

AEN

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.