Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Cultural Raízes Ancestrais tem apoio da Prefeitura de Londrina, por meio do Promic; evento acontecerá nos dias 14 e 15 de janeiro

O Projeto Ginga Viva Capoeira promoverá, nos dias 14 e 15 de janeiro, o Festival Cultural Raízes Ancestrais. A ação é uma realização da Associação Cultural Kaiango Capoeira, que conta com o apoio da Prefeitura de Londrina, por meio do Programa Municipal de Incentivo à Cultura (Promic). As atividades serão realizadas na Rua Emilio Striquer, 380, no Jardim Cristal II.

A entrada é livre e gratuita, porém o número de vagas é limitado a 50 pessoas. Para participar é preciso se inscrever com o professor de capoeira, Julio Cesar Simeão, que é o organizador do evento. O telefone para contato é o (43) 98421-9552, mas é possível se inscrever também pelo e-mail: gingavivacapoeira@gmail.com. No momento, há cerca de 15 vagas disponíveis. 

A programação inicia na sexta-feira (14), às 20h, com uma oficina de Maculelê, ministrada por Zulu, que é treinel de capoeira (quando se é aluno, mas já treina outras pessoas). O Maculelê é um tipo de dança folclórica oriunda da Bahia, com matriz nas culturas afro-brasileira e indígena, sendo considerada uma “dança guerreira”, realizada com bastões de madeira, ao som de toques de atabaque. 

No sábado (15), as atividades começam às 11h, com a oficina de Samba de Roda, realizada pela contramestra Lissandra. Ao meio dia haverá pausa para almoço, e às 14h o evento retorna com a tradicional roda de capoeira. Às 15h, será o batizado e a troca de graduações dos alunos do projeto.

De acordo com o professor do Projeto Ginga Viva Capoeira, Julio Cesar Simeão, todos os anos, o projeto promove algum festival. Em 2018, o grupo realizou o Festival Cultural Ginga & Viva a Capoeira, que reuniu mais de 100 capoeiristas de Londrina e região. “Em 2020, estava programado o Festival Cultural Raízes Ancestrais, com apoio do Promic, porém ele teve que ser cancelado devido ao novo coronavírus. A ideia inicial era ofertar cursos de Capoeira Contemporânea, Capoeira Angola, Maculelê e Samba de Roda, além do Batizado e troca de graduações”, contou Simeão.

Sobre o projeto

O Projeto Ginga Viva Capoeira existe há cinco anos, no Jardim Cristal I, na zona sul de Londrina. Ele é um projeto social, que visa levar cultura, cidadania, esporte e lazer, de forma gratuita, para crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social. Atualmente, integram as atividades as crianças e adolescentes de ambos os sexos, com idades que variam entre 5 e 17 anos. “Com o apoio do Promic, abriu-se um leque de possibilidades, pois temos recursos para pagar um cachê aos oficineiros, além das passagens e estada. Também podemos oferecer o uniforme da capoeira para os participantes do projeto e a aquirir os instrumentos musicais, que compõem a roda da capoeira, como três berimbaus, um atabaque, dois pandeiros e um agogô”, explicou o professor do projeto.

Segundo Simeão, a pandemia de Covid-19 restringiu as atividades do projeto, visto que as aulas foram suspensas em 19 de maio. Desta forma, o festival teve de ser adiado para 2022. “O Festival teve de ser repensado e adequado para a nova realidade que vivemos e hoje contamos com aproximadamente 25 participantes do projeto. O apoio do Promic foi e está sendo fundamental na realização das atividades e do festival”, contou.

Samir Kadri/NCPML

#JornalUnião

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.