Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A ação oferece oficinas teatrais gratuitas para mulheres em diferentes regiões da cidade

O projeto “As Marcas no Corpo”, coordenado pelas atrizes Natália Viveiros e Renata Santana, oferece oficinas gratuitas de aprofundamento na linguagem teatral para mulheres. O trabalho conta com patrocínio da Secretaria Municipal de Cultura, por meio do Programa Municipal de Incentivo Cultura (PROMIC).

As oficinas ocorrem toda quinta-feira, das 9h às 11h30, no Centro de Convivência da Pessoa Idosa (CCI Norte), na Rua Luis Brugin, 570, no Conjunto Maria Cecília. Aos sábados, ocorre das 14h às 17h na Casa da Vila, na Rua Uruguai, 1.656, Vila Brasil.

O projeto, que teve sua 1º edição no ano passado, oferece nesta nova etapa duas oficinas de longa duração, que se estendem até março do ano que vem. Estas oficinas são destinadas a mulheres que já participaram do projeto e também para aquelas que se interessem em aprofundar-se nas artes cênicas.

O objetivo do projeto, segundo a atriz e coordenadora, Renata Santana, não é apenas aprofundar a linguagem teatral. “Além de promover o contato das mulheres com o mundo do teatro, o grande objetivo seria fortalecer as participantes, trabalhar o feminino, a relação com outras mulheres e seu lugar na sociedade”, ressaltou.

As oficinas são gratuitas e contam com 30 vagas cada uma. Uma está em andamento e outra começa em agosto. Porém, as inscrições vão até o fim deste mês. Mulheres acima de 15 anos que se interessarem podem entrar em contato com: Renata Santana, pelo telefone (43) 9618-3824, pelo  email – projetocenico.marcas@gmail.com ou comparecer  nos locais e horários da oficinas.

Parcerias

“As Marcas no Corpo” conta com parceria da Secretaria Municipal de Políticas para Mulheres; da Secretaria Municipal de Assistência Social, por meio dos serviços do CRAS e CREAS; da Biblioteca Municipal Eugênia Monfranati; do Centro de Convivência da Pessoa Idosa da Região Norte (CCI Norte); da Casa da Vila; do Canto do MARL; do Centro Comunitário do Jardim Nossa Senhora da Paz; e o projeto de pesquisa “Cirandando Londrina: Efeitos de redes culturais ecológicas de beleza e resistência contra as subcidadanias”, coordenado pela docente Alejandra Astrid Leon Cedeno, da Universidade Estadual de Londrina.

NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios