Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Para finalizar com chave de ouro a Temporada Bravi 2019, o violista londrinense Jhonatan Santos traz um concerto solo atemporal, propondo ao público vivenciar um recorte da história da música européia e seu diálogo com as composições brasileiras. 

Com a proposta de expor obras que transpõem a linha temporal artística dos séculos XVIII, XIX e XX, o músico londrinense Jhonatan Santos apresentará o concerto solo "Uma Viola, Bach e os Séculos", que trará um monólogo histórico e musical para o público de Londrina nos dias 21 e 26 de novembro, ambos com entrada gratuita. 

O ponto de partida musical é a Suíte Nº 1 em Sol Maior do compositor alemão Johann Sebastian Bach (1685 - 1750). A partir dela, o programa traz uma ligação atemporal com obras de séculos distintos, como Max Reger (1873-1916), Henri Vieuxtemps (1820-1881) e o compositor brasileiro José Guerra Vicente (1907-1976).

Ao propor este repertório, o violista pretende proporcionar aos ouvintes um jogo de cores, texturas e movimentos, tornando perceptível o conjunto de elementos interpretativos específicos de cada período. “A Viola” transmuta em pincel, poeta, ator, livro ou qualquer outro veículo que transmita, reproduza e/ou interprete os desfechos artísticos descritos nos códigos musicais utilizados pelos compositores.

Mais sobre as Violas...

O termo "viola" se refere ao instrumento da família dos violinos que tem a tessitura de contralto e tenor, com muitas semelhanças técnicas, tanto no arco quanto no dedilhado; porém as 4 cordas da viola são afinadas em dó - sol - ré e lá, uma quinta abaixo do violino e uma oitava acima do violoncelo. As primeiras violas foram construídas no norte da Itália no início do século XVI. Seu formato é igual ao do violino, que tem a tessitura de soprano, mas pode ser maior, já que o tamanho do instrumento nunca foi padronizado. 

Mais sobre Johann Sebastian Bach...

Nascido em Eisenach, na Alemanha, Bach viveu entre 1685 e 1750 e as suas habilidades como instrumentista eram altamente respeitadas em toda a europa. Além de compositor, Bach foi kantor (cântor, um cargo na igreja luterana, nada a ver com o canto), professor, organista, cravista, violista e violinista. Por obrigação de serviço religioso, Bach compôs durante anos um grande acervo de peças sacras: mais de duzentas cantatas, vários motetos, cinco missas, três oratórios, e quatro paixões. 

Contudo, a sua arte não ficou restrita apenas à igreja, também no domínio da música instrumental se encontram algumas das mais importantes obras de Bach, sendo as “Suítes para Violoncelo” a coletânea de obras mais difundida popularmente. Elas foram compostas, provavelmente, no período em que Bach desempenhou a função de mestre de capela em Köthen. As suítes foram transcritas para vários instrumentos, incluindo o violino, viola, contrabaixo, viola da gamba, bandolim, piano, marimba, saxofone, charango e muitos outros.

O evento de hoje, 21, acontece na Capela Ecumênica da UEL (Calçadão da Universidade Estadual de Londrina), às 17:30 hrs. Já no dia 26, será no Teatro Sesi/AML. (Rua Maestro Egídio Camargo Amaral, 130), a partir das 19:30 hrs., com entrada gratuita.

Thalita Alcantara/Assimp

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios