Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Para finalizar com chave de ouro a Temporada Bravi 2019, o violista londrinense Jhonatan Santos traz um concerto solo atemporal, propondo ao público vivenciar um recorte da história da música européia e seu diálogo com as composições brasileiras. 

Com a proposta de expor obras que transpõem a linha temporal artística dos séculos XVIII, XIX e XX, o músico londrinense Jhonatan Santos apresentará o concerto solo "Uma Viola, Bach e os Séculos", que trará um monólogo histórico e musical para o público de Londrina nos dias 21 e 26 de novembro, ambos com entrada gratuita. 

O ponto de partida musical é a Suíte Nº 1 em Sol Maior do compositor alemão Johann Sebastian Bach (1685 - 1750). A partir dela, o programa traz uma ligação atemporal com obras de séculos distintos, como Max Reger (1873-1916), Henri Vieuxtemps (1820-1881) e o compositor brasileiro José Guerra Vicente (1907-1976).

Ao propor este repertório, o violista pretende proporcionar aos ouvintes um jogo de cores, texturas e movimentos, tornando perceptível o conjunto de elementos interpretativos específicos de cada período. “A Viola” transmuta em pincel, poeta, ator, livro ou qualquer outro veículo que transmita, reproduza e/ou interprete os desfechos artísticos descritos nos códigos musicais utilizados pelos compositores.

Mais sobre as Violas...

O termo "viola" se refere ao instrumento da família dos violinos que tem a tessitura de contralto e tenor, com muitas semelhanças técnicas, tanto no arco quanto no dedilhado; porém as 4 cordas da viola são afinadas em dó - sol - ré e lá, uma quinta abaixo do violino e uma oitava acima do violoncelo. As primeiras violas foram construídas no norte da Itália no início do século XVI. Seu formato é igual ao do violino, que tem a tessitura de soprano, mas pode ser maior, já que o tamanho do instrumento nunca foi padronizado. 

Mais sobre Johann Sebastian Bach...

Nascido em Eisenach, na Alemanha, Bach viveu entre 1685 e 1750 e as suas habilidades como instrumentista eram altamente respeitadas em toda a europa. Além de compositor, Bach foi kantor (cântor, um cargo na igreja luterana, nada a ver com o canto), professor, organista, cravista, violista e violinista. Por obrigação de serviço religioso, Bach compôs durante anos um grande acervo de peças sacras: mais de duzentas cantatas, vários motetos, cinco missas, três oratórios, e quatro paixões. 

Contudo, a sua arte não ficou restrita apenas à igreja, também no domínio da música instrumental se encontram algumas das mais importantes obras de Bach, sendo as “Suítes para Violoncelo” a coletânea de obras mais difundida popularmente. Elas foram compostas, provavelmente, no período em que Bach desempenhou a função de mestre de capela em Köthen. As suítes foram transcritas para vários instrumentos, incluindo o violino, viola, contrabaixo, viola da gamba, bandolim, piano, marimba, saxofone, charango e muitos outros.

O evento de hoje, 21, acontece na Capela Ecumênica da UEL (Calçadão da Universidade Estadual de Londrina), às 17:30 hrs. Já no dia 26, será no Teatro Sesi/AML. (Rua Maestro Egídio Camargo Amaral, 130), a partir das 19:30 hrs., com entrada gratuita.

Thalita Alcantara/Assimp

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.