Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A obra compara a legislação brasileira com a de outros países

Com a finalidade de analisar sob o viés jurídico a utilização de patente por empresas de biotecnologia, o advogado e professor dos cursos de Ciências Contábeis, Segurança Pública e Gestão Hospitalar da Unopar, João Henrique de Almeida Scaff, lançou o livro “Patenteamento de Genes Humanos: uma gota de esperança em um mar de incertezas”.

Na obra publicada pela editora Lumen Juris, o autor traça uma comparação da legislação nacional e internacional, para compreender as questões que permeiam o assunto como a problemática na aceitação do patenteamento dos genes humanos ante os acontecimentos históricos e posicionamentos filosóficos, bem como a sua exploração econômica.

“A legislação brasileira proíbe a patente de material genético isolado, mas possibilita do processo técnico, o que indiretamente pode surtir os mesmos efeitos de registro do gene isolado”, explica o professor, que também é mestre em Direito Negocial pela Universidade Estadual de Londrina (UEL). Os interessados podem adquirir o livro por meio do portal l www.lumenjuris.com.br, ou nas maiores livrarias do país.

Tiago Silva/Asimp

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios