Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Espetáculo gratuito une teatro, música, dança e circo; carreta-palco de 15 metros ficará na Praça da Matriz

A peça musical “Amor, Mar e Fúria” será apresentada em Porecatu no dia 5 de maio, às 20h. A carreta-palco de 15 metros de comprimento por 12 metros de altura será colocada na Praça da Matriz.  Grandioso, o espetáculo tem duração de uma hora, é livre, gratuito e para assisti-lo basta o público comparecer levando as próprias cadeiras. Realizado pela companhia Teatro de Tábuas, o projeto está circulando pela Bacia do Paranapanema patrocinado, via Lei Rouanet, pela Rio Paranapanema Energia, uma subsidiária do Grupo CTG no Brasil.

O musical reúne as linguagens do teatro, dança, música e circo para contar a história de amor entre um capitão de navio e uma princesa, e os muitos percalços por que passa esse romance. São oito atores-cantores, dois artistas circenses e uma banda musical, ao vivo, encantando o público. A carreta-palco é dotada de cenário hidráulico – um barco em tamanho real, com movimentação – e palcos laterais giratórios, além de iluminação e sonorização.

“O Teatro de Tábuas é a maior companhia de teatro itinerante do país com espetáculos de grande magnitude, a céu aberto. Nossa proposta é democratizar a arte: levar grandes estruturas a pequenas e médicas cidades, proporcionando o acesso a essas comunidades”, expõe o produtor da companhia, Peterson Ricardo.

A primeira etapa de apresentações segue até o dia 20 de maio, percorrendo 10 cidades próximas das usinas hidrelétricas operadas no rio Paranapanema pela empresa patrocinadora. Além de “Amor, Mar e Fúria”, o Teatro de Tábuas está circulando outro projeto na Bacia do Paranapanema, também com patrocínio da Rio Paranapanema Energia: o Estradafora, que disponibiliza sessões de teatro e cinema gratuitas às comunidades. Porecatu recebeu o Estradafora nos dias 24 e 25 de abril.

A Peça

A história de amor entre o capitão de navio de bandeira duvidosa e a formosa princesa é cheia de obstáculos. Para o rei consentir no casamento, o pretendente precisa cumprir três requisitos: provar a idoneidade de seus negócios, dar um dote significativo à coroa e apresentar uma prova irrefutável de amor à princesa. O desdobramento é uma sequência de hilárias tentativas de cumprir o pacto, mas o capitão não se dá por vencido e utiliza de todos os meios para conseguir a mão da princesa.

“O espetáculo versa sobre importantes temas da sociedade moderna, como amor, ódio, mentira, política e corrupção. Mas o foco principal está, logicamente, no amor. Será que vale a pena tanto esforço? Será que a trama tem um final feliz? Convidamos o público a navegar com a gente”, incentiva o produtor de “Amor, Mar e Fúria”.

Asimp/CTGBR

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios