Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Samba não se aprende no colégio, como já dizia Noel Rosa. Mas, então, onde é que se aprende? Uma roda reunida em Londrina tem provado do privilégio de estudar, pesquisar e experimentar o samba entre mulheres, em encontros regados a café, boa conversa e com as crianças correndo em volta. Foi em busca de um ambiente mais livre para o desenvolvimento de mulheres instrumentistas que surgiu o Estudando Samba, que coloca o bloco na rua neste sábado, a partir das 16h, na Vila Cultural AlmA Brasil (R. Argentina, 693).

O grupo, formado em 2018 por artistas que já vinham desenvolvendo diferentes trabalhos de cultura popular na cidade, integra um grande movimento de protagonismo feminino que se observa em todo o Brasil, tanto no samba quanto em gêneros como o coco e o maracatu.

Prova dessa tendência foi a organização do I Encontro Nacional de Mulheres na Roda de Samba, no final do ano passado, e também a publicação da coleção Sambas Escritos, pela editora Pólen, que enfatiza a participação da mulher negra na consolidação dessa manifestação popular, não apenas em seu contexto histórico, mas a partir de práticas contemporâneas em que as mulheres assumem funções antes reservadas aos homens no fazer musical. Em Londrina, a experiência é derivada de outros projetos que abriram caminho para o protagonismo feminino na música, como o Entretantas, Pisada da Jurema, Baque Mulher e o Samba Delas.

O Estudando Samba é formado por Camila Rios, Suyane Alves, Marise Gomes Corrêa e Silvia Borba (percussão), Natalia Lepri (cavaco), Rakelly Calliari e Laís Marques (violões), Lara Moratto (flauta), Juliana Barbosa e Solange Bronzatti (pesquisa e percussão), enquanto todas se revezam no canto e nos coros.

O repertório tem lugar de destaque para canções compostas por Ivone Lara e Leci Brandão, além de sambas de autoria londrinense. No show preparado para este sábado, o grupo também presta uma homenagem a Beth Carvalho, entoando canções imortalizadas pela madrinha do samba. Afinal, assim como a Vila, essa turma não quer abafar ninguém / só quer mostrar que faz samba também.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.