Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Projeto Brisa, da Funcart, adapta-se ao novo normal e leva atrações de artistas londrinenses a pessoas em situação de rua por meio de vídeo

Já foi dito que a arte e a cultura são respiradores sociais. Uma “Brisa” que precisa chegar a todos, mesmo em tempos de dificuldade e exceção. A Fundação Cultura Artística de Londrina adaptou seu projeto “Brisa – Saraus Artísticos” para que seu objetivo de sempre – integrar pessoas em situação de rua, artistas e comunidade em uma partilha poética – pudesse ser cumprido durante a quarentena. A solução foi gravar números com atores, cantores, músicos, palhaços, malabaristas, dentre outros, para oferecer em saraus virtuais, projetados em vídeo nos abrigos que atualmente acolhem essa população em vulnerabilidade social na cidade.

Serão quatro sessões agendadas até o fim de junho. Nesta quinta-feira, dia 18, às 9 horas, a Casa do Bom Samaritano (R. José Fierli, 153) dá a largada à programação. No dia 24, às 14 horas, é a vez da Associação MMA - Ministério de Missões e Adoração Londrina (Rua Guilherme da Mota Correia, 4611). Na sexta (25), às 9 horas, a exibição acontece na Casa de Encontros e Retiros Emaús (Rua Domingos Massaruti, S/N) e, por fim, no dia seguinte (26), às 14 horas, a atração encerra-se no Centro de Espiritualidade Monte Carmelo (Rua Monte Carmelo, 15).O patrocínio é da Secretaria Municipal da Cultura de Londrina, por meio do PROMIC – Programa Municipal de Incentivo à Cultura, com apoio do Centro POP, da Secretaria de Assistência Social.

De acordo com Silvio Ribeiro, coordenador do Brisa, a ideia do sarau virtual surgiu diante da necessidade de cumprir o projeto do PROMIC no prazo estipulado e das limitações da restrição social imposta pela pandemia da COVID-19. As gravações foram feitas na Funcart no dia 8 de junho, ao longo da manhã e tarde, seguindo todos os protocolos de segurança. Poucos profissionais da equipe estavam presentes, com máscaras e à distância, e a produção fez uma escala de horários para que cada artista se apresentasse isoladamente, sem gerar aglomeração. “As gravações foram ótimas. Demos preferências para os números solos ou de pessoas que estão cumprindo a quarentena juntas e todos entenderam a necessidade de, além de gravar sua apresentação, levar uma palavra de respeito e carinho para tocar as pessoas que vão assistir”, conta Ribeiro.

Os vídeos também incluem falas de integrantes da equipe, recomendações das assistentes sociais do centro POP e depoimentos de pessoas em situação de rua que já foram atendidas pelo projeto, como os artistas do POP Show, grupo teatral que surgiu dentro do Brisa. Dentre as atrações londrinenses, estão a atriz Thainara Pereira, o Palhaço Arnica, a Família do Circo, o músico Tonho Costa e as cantoras Marina Madi e Victória Mendes.

Nos dias de exibição, o projeto também oferecerá bolos e sanduíches para alegrar ainda mais o sarau. Os alimentos foram obtidos por meio de campanha de doação, que teve imediata adesão de amigos da Funcart e empresários da cidade. Após esta primeira experiência, o Brisa, que já segue para a terceira edição, deve realizar nova etapa virtual em julho, dependendo das determinações sanitárias.

Renato Forin Jr./Asimp

Clique nas fotos para ampliar

Última edição do Brisa, em fevereiro - foto de Fábio Alcover
Gravações do Brisa Virtual - foto de João Ribeiro
Gravações do Brisa Virtual - foto de João Ribeiro

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios