Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

 “O Grito Negro Londrinense”, do artista Marcos Costa, chega ao Centro Cultural Sesi/AML com entrada franca

O Brasil recorda em 2018 os 130 anos de assinatura da Lei Áurea – um dos últimos países no mundo a abolir a escravatura. Para marcar este episódio tão significativo e chamar a atenção para as desigualdades raciais ainda presentes no país,  o Centro Cultural Sesi/AML traz para Londrina a exposição “130 Anos de Abolição da Escravatura: O Grito Negro Londrinense”, do artista Marcos Costa. A mostra fica em cartaz até o dia 10 de dezembro, com entrada franca.

Marcos Costa é um artista negro londrinense com formação em Artes Visuais e Artes Cênicas. Há 15 anos, ele desenvolve projetos artísticos de ação afirmativa onde a temática cultural e estética afro-brasileira e africana são plenamente consideradas. Com este trabalho, já foi premiado pela Funarte, pelo Iphan e pelo Ministério da Cultura e já realizou exposições em Barcelona e em Paris.

De acordo com Marcos, a abolição de afro-brasileiros e africanos no Brasil foi feita sem nenhuma preocupação humanitária: “a liberdade veio acompanhada da exclusão social”, defende. A exposição “130 Anos de Abolição da Escravatura: O Grito Negro Londrinense” trata deste contexto passando por questões iconológicas e iconográficas ao evidenciar e contestar simbologias de representação visual do negro no passado e propor novas representações no presente. “Proponho novas imagens que busquem a liberdade dos estereótipos imagéticos impregnados historicamente aos afrodescendentes, dando-lhes identidade e voz”, ressalta o artista.

O projeto é contemplado e patrocinado pelo Programa Municipal de Incentivo a Cultura – PROMIC. Escolas podem agendar visitações pelos contatos:  sesiculturalondrina@sistemafiep.org.br ou 3322-3231.

Asimp/Sesipr

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios