Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A Sicredi União PR/SP abriu, no espaço CoopConecta, em Londrina, a exposição de quadros Pintando as Emoções, resultado de um trabalho realizado com seus 32 funcionários com algum tipo de deficiência intelectual e que encontraram na pintura uma forma de enfrentar a ansiedade e angustias provocadas pelo período de isolamento social, em decorrência da pandemia do coronavírus.

Dos 32 colaboradores, 24 prestavam serviços para a cooperativa de crédito a partir de salas das Apaes de Maringá e de Nova Esperança e outros oitos já haviam sido inseridos na rotina das agências, num trabalho desenvolvido por meio do Projeto Eu Coopero com a Inclusão.  “Com a pandemia, por serem de grupo de risco, foram afastados da rotina do trabalho, o que aumentou a ansiedade do grupo e surgiram problemas diversos, como obesidade, inquietude”, comenta Diego Menão, gerente de Sustentabilidade e Cooperativismo da Sicredi União, área à qual o Projeto Eu Coopero com a Inclusão está inserido.

Desde que eles foram para casa, a cooperativa vem realizando várias atividades remotas, como lives com a participação de diretores da instituição e oficinas variadas, especialmente para esse público. Mas foi na pintura que encontraram a melhor forma de se expressarem e se tranquilizarem. Cada colaborador recebeu, em casa, telas e todo o material necessário para o trabalho.

 “A deficiência intelectual é uma das muitas características que eles possuem e aqui na Sicredi nosso papel é encontrar as potencialidades que eles têm e desenvolvê-las, com os recursos adequados para isso. E assim, eles têm condições de interagir e cooperar com a comunidade”, comenta a coordenadora do projeto, Taiane Andrade Boccato. Ela trabalha em conjunto com Lara Pimenta Ganassim, orientadora das atividades na Apae de Maringá; e Kátia Fabiane Hachmann Fenner, orientadora das atividades na Apae de Nova Esperança.Todas são colaboradoras da cooperativa. A exposição, itinerante, foi aberta na segunda, 14 de dezembro, e poderá ser visitada até 14 de janeiro, depois parte para outras regionais da cooperativa.

Pintando sonhos

O grupo de colaboradores foi representado, na abertura da exposição, pela colaboradora Débora Cristina Catonil, 27 anos, e que participa do projeto desde o seu início. A sua tela retrata a concretização de um sonho. “Eu pintei a minha casa, que eu sempre sonhei em ter e que consegui comprar este ano”, conta ela. Débora, assim como os demais colaboradores, são contratados regularmente pela cooperativa, recebendo salários e todos os demais benefícios. Ela diz sentir muita falta da rotina do trabalho, mas entende que agora é hora “de cuidar da saúde” e garante estar tranquila.

As oficinas on-line que continuam sendo ofertadas pela Sicredi União neste período da pandemia também tem ajudado Leandro Garcia Gonçalves, 42 anos. O pai dele, Vando Garcia Gonçalves, menciona que ele sente muita falta do trabalho, fica inquieto, mas as oficinas conseguem mantê-lo concentrado. “Com a pintura ele ficou bastante motivado e até aprendeu a navegar sozinho na internet para entrar nas aulas”, comenta.

Para Elida  Angelo dos Santos Verza, mãe de Robson Santos Verza, aluno da Apae de Nova Esperança, o filho vem evoluindo bastante desde que se integrou ao projeto. Quando precisou suspender as atividades devido à pandemia, ficou mais nervoso, se isolou um pouco mais. “Mas com a pintura ele está mais animado, mais concentrado e passou a ficar mais comunicativo dentro de casa”, relata.

Um mundo melhor

Presente à abertura da exposição, o presidente da Sicredi União PR/SP, Wellington Ferreira, disse que abrir a exposição foi uma das boas coisas ocorridas neste ano em que ocorreram tantas más notícias.

“O cooperativismo é isso: é estar ao lado das pessoas, é olhar para elas e enxergar suas potencialidades, é ajudar a desenvolver pessoas e regiões. Estamos muito felizes em abrir essa exposição, que é um jeito de olhar para o lado bom das coisas”, comentou e, referindo ao grupo de colaboradores com alguma deficiência intelectual, integrantes do projeto Eu Coopero com a Integração, comentou: “Estamos aprendendo muito mais com vocês do que vocês com a gente. Vocês tornaram a nossa cooperativa melhor”.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios