Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A Sicredi União PR/SP abriu, no espaço CoopConecta, em Londrina, a exposição de quadros Pintando as Emoções, resultado de um trabalho realizado com seus 32 funcionários com algum tipo de deficiência intelectual e que encontraram na pintura uma forma de enfrentar a ansiedade e angustias provocadas pelo período de isolamento social, em decorrência da pandemia do coronavírus.

Dos 32 colaboradores, 24 prestavam serviços para a cooperativa de crédito a partir de salas das Apaes de Maringá e de Nova Esperança e outros oitos já haviam sido inseridos na rotina das agências, num trabalho desenvolvido por meio do Projeto Eu Coopero com a Inclusão.  “Com a pandemia, por serem de grupo de risco, foram afastados da rotina do trabalho, o que aumentou a ansiedade do grupo e surgiram problemas diversos, como obesidade, inquietude”, comenta Diego Menão, gerente de Sustentabilidade e Cooperativismo da Sicredi União, área à qual o Projeto Eu Coopero com a Inclusão está inserido.

Desde que eles foram para casa, a cooperativa vem realizando várias atividades remotas, como lives com a participação de diretores da instituição e oficinas variadas, especialmente para esse público. Mas foi na pintura que encontraram a melhor forma de se expressarem e se tranquilizarem. Cada colaborador recebeu, em casa, telas e todo o material necessário para o trabalho.

 “A deficiência intelectual é uma das muitas características que eles possuem e aqui na Sicredi nosso papel é encontrar as potencialidades que eles têm e desenvolvê-las, com os recursos adequados para isso. E assim, eles têm condições de interagir e cooperar com a comunidade”, comenta a coordenadora do projeto, Taiane Andrade Boccato. Ela trabalha em conjunto com Lara Pimenta Ganassim, orientadora das atividades na Apae de Maringá; e Kátia Fabiane Hachmann Fenner, orientadora das atividades na Apae de Nova Esperança.Todas são colaboradoras da cooperativa. A exposição, itinerante, foi aberta na segunda, 14 de dezembro, e poderá ser visitada até 14 de janeiro, depois parte para outras regionais da cooperativa.

Pintando sonhos

O grupo de colaboradores foi representado, na abertura da exposição, pela colaboradora Débora Cristina Catonil, 27 anos, e que participa do projeto desde o seu início. A sua tela retrata a concretização de um sonho. “Eu pintei a minha casa, que eu sempre sonhei em ter e que consegui comprar este ano”, conta ela. Débora, assim como os demais colaboradores, são contratados regularmente pela cooperativa, recebendo salários e todos os demais benefícios. Ela diz sentir muita falta da rotina do trabalho, mas entende que agora é hora “de cuidar da saúde” e garante estar tranquila.

As oficinas on-line que continuam sendo ofertadas pela Sicredi União neste período da pandemia também tem ajudado Leandro Garcia Gonçalves, 42 anos. O pai dele, Vando Garcia Gonçalves, menciona que ele sente muita falta do trabalho, fica inquieto, mas as oficinas conseguem mantê-lo concentrado. “Com a pintura ele ficou bastante motivado e até aprendeu a navegar sozinho na internet para entrar nas aulas”, comenta.

Para Elida  Angelo dos Santos Verza, mãe de Robson Santos Verza, aluno da Apae de Nova Esperança, o filho vem evoluindo bastante desde que se integrou ao projeto. Quando precisou suspender as atividades devido à pandemia, ficou mais nervoso, se isolou um pouco mais. “Mas com a pintura ele está mais animado, mais concentrado e passou a ficar mais comunicativo dentro de casa”, relata.

Um mundo melhor

Presente à abertura da exposição, o presidente da Sicredi União PR/SP, Wellington Ferreira, disse que abrir a exposição foi uma das boas coisas ocorridas neste ano em que ocorreram tantas más notícias.

“O cooperativismo é isso: é estar ao lado das pessoas, é olhar para elas e enxergar suas potencialidades, é ajudar a desenvolver pessoas e regiões. Estamos muito felizes em abrir essa exposição, que é um jeito de olhar para o lado bom das coisas”, comentou e, referindo ao grupo de colaboradores com alguma deficiência intelectual, integrantes do projeto Eu Coopero com a Integração, comentou: “Estamos aprendendo muito mais com vocês do que vocês com a gente. Vocês tornaram a nossa cooperativa melhor”.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.