Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A montagem, que tem entrada franca, é o encontro com as vozes e imagens de Jardelina da Silva

“Sobre Letras e Gritos para Salvar o Mundo – uma homenagem a Jardelina da Silva” é um espetáculo solo de Camila Fontes, atriz do grupo TOU Teatro, apresentado em parceria com o Sesi Cultura. A montagem promove um encontro com as vozes e imagens dessa sergipana tão conhecida nas ruas de Bela Vista do Paraíso, interior do Paraná. O sucesso da montagem em temporadas já realizadas pelo Estado, e fora dele, e em sua passagem pelo FILO – Festival Internacional de Londrina – faz com que a peça retorne à cidade nos dias 28 e 29 de março, no Centro Cultural Sesi/AML  (Rua Maestro Egídio Camargo do Amaral, 130 – Centro), com entrada franca.

Conselheira, poeta e gritona, Jardelina tinha o dom das vozes proféticas, o dom de vesti-las. Passava da escuta das vozes à costura, da costura ao discurso gritado pelas ruas e, por fim, concluía seu ato com a fotografia. O espetáculo é uma homenagem que busca vestir alguns dos retratos, objetos e palavras de Jarda, como era carinhosamente chamada. A pesquisa, a criação, o texto e a atuação, assim como a iluminação do espetáculo, são todos de responsabilidade de Camila Fontes.

Camila conheceu Jardelina em Bela Vista do Paraíso entre os anos de 2002 e 2004. Além de ter contato com a relação de Jarda com a fotografia na organização de parte de seus retratos, foram muitas as conversas entre a atriz e a sua musa inspiradora. Bate-papos sem limites definidos entre a realidade e o imaginário. Por dias e por longas horas, Camila acompanhou parte dos últimos dois anos de vida de Jardelina, dos gritos, dos olhares e silêncios, dos seus motivos, dos seus desenhos, panos, retalhos e fotografias. Além de longas gravações de áudio desses encontros, a atriz pôde conhecer a pesquisa de textos, imagens e áudios recolhidos pelo jornalista Rubens Pillegi, o qual já havia acompanhado Jardelina e organizado parte de seu material e história.

Depois de quase quinze anos, o material recolhido e guardado foi reaberto e analisado a partir das imagens-retratos de Jarda. A análise foi feita durante uma residência artística com Raquel Scotti, Ana Cristina Colla e Naomi Silman – atrizes e pesquisadoras do Lume Teatro. Uma imersão realizada dentro da programação do Vértice Brasil, ocorrido em Florianópolis(SC), em 2014. Ainda no mesmo ano, em um curso específico com Raquel sobre mímeses corpórea, a investigação prosseguiu a partir dos textos e imagens de Jardelina. O curso foi o embrião que estabeleceu a parceria com Raquel Scotti Hirson para o atual trabalho, cuja continuidade e aprofundamento se deu em 2016, num processo específico de composição que norteia o espetáculo “Sobre Letras e Gritos para Salvar o Mundo”.

Asimp/Sesi Pr.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios