Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O Teatro de Comédia do Paraná (TCP) vai apresentar na edição de 2018 o texto inédito Papéis de Maria Dias, da autora paranaense Luci Collin. A tragicomédia faz um confronto entre a vida de cinco mulheres simples e cinco homens consagrados, discutindo temas como grandiosidade, criação e os dramas da existência comum, com direção de Carolina Meinerz e Letícia Guimarães.

O edital para a seleção de atores e atrizes para o espetáculo estará aberto até o dia 9 de setembro. O espetáculo estreia em novembro. Serão escolhidos até dez atores e atrizes profissionais, que começam a ensaiar ainda em setembro. Os inscritos participarão de uma audição e podem interpretar um dos três textos apresentados no edital.

As inscrições podem ser feitas até as 23h59m do dia 9 de setembro de 2018, exclusivamente por e-mail dirigido ao endereço atorestcp2018@gmail.com, com a ficha de inscrição devidamente preenchida e assinada. A lista dos artistas selecionados será divulgada no dia 14 de setembro pelo site do Centro Cultural Teatro Guaíra e redes socais.

Os atores e atrizes devem ser profissionais, maiores de 18 anos e residentes no Paraná. Além disso, devem ter disponibilidade para ensaios a partir de 17 de setembro de 2018, de acordo com o cronograma estabelecido para a produção do espetáculo.

Audições

As audições ocorrem nos 11 e 12 de setembro. Além da interpretação do texto escolhido, que tem duração máxima de um minuto, os atores também deverão criar uma cena musical e/ou corporal. Os atores e atrizes selecionados receberão remuneração de RS 12 mil, equivalente a três meses de trabalho.

Romance

Luci Collin explica que o romance, que será publicado no próximo mês pela editora Iluminuras, tem três eixos principais. O primeiro discute a trajetória das cinco Marias, mulheres comuns, com vidas aparentemente banais. O segundo aborda cinco grandes cientistas homens, que, por seus feitos extraordinários, são reconhecidos através dos séculos e recebem homenagens - são nomes de montanhas na Lua, por exemplo. Por fim, há um demiurgo, um criador, que representa o artista e confronta os dois eixos questionando o que torna a vida grandiosa. "Elas têm uma condição meio patética de existência. Nos vemos como vivendo vidinhas, mas será que não somos grandes justamente por isso", questiona a autora.

Carolina e Letícia dividem a direção da peça e afirmam que o trabalho trará uma diversidade de olhares para o público. "Voltamos à poesia de pessoas simples, à beleza do existir em sua simplicidade. É um contraponto a esse mundo de construções midiáticas", diz Letícia. Para Carolina, a grande discussão da história é onde está a grandiosidade da vida. "Como é o processo de elaboração dessas existências e como elas surgem. Esse é o nosso questionamento", afirma.

Força da mulher

Para o secretário de Estado da Cultura do Paraná, João Luiz Fiani, essa nova produção do TCP foi pensada por muita gente com o objetivo de aproximar a classe artística cada vez mais. “A montagem que será escrita e dirigida por mulheres mostra a força da mulher na arte paranaense”, afirma. “O TCP dá um passo importante para consolidar esse espaço, que é fundamental na construção da cultura do Estado e mostra a força do teatro do Paraná".

Autora e diretoras

Luci Collin - Curitibana, é ficcionista, poeta e tradutora. Tem 19 livros publicados entre os quais Querer falar (poesia, Finalista do Prêmio Oceanos 2015), A palavra algo (poesia, Prêmio Jabuti 2017), Nossa Senhora D'Aqui (romance, 2015) e A peça intocada (contos, 2017). Participou de diversas antologias nacionais e internacionais (nos EUA, Alemanha, França, Bélgica, Uruguai, Argentina, Peru e México). Traduziu Gertrude Stein, E. E. Cummings, Gary Snyder, Jerome Rothenberg, entre outros. É graduada no Curso Superior de Piano, no Curso de Letras Português/Inglês e no Curso Superior de Percussão Clássica. Na USP concluiu o Doutorado em Estudos Linguísticos e Literários em Inglês, e dois estágios pós-doutorais em Literatura Irlandesa. Desde 1999 leciona Literaturas de Língua Inglesa no Curso de Letras da UFPR.
Letícia Guimarães - Formada pela Faculdade de Direito de Curitiba, há 26 anos trabalha no Teatro Profissional, sendo que há 16 anos trabalha especificamente com o teatro para crianças. Tem formação em Mímica e como atriz ganhou prêmios (Troféu Gralha Azul de melhor atriz e melhor atriz coadjuvante). Prêmio de melhor atriz em cinema no Festival de Maringá. Cursou extensão universitária em arte-educação na USP - SP. Como produtora e diretora da Cia. Do Abração ganhou em 2002 o Prêmio Troféu Gralha Azul de Melhor espetáculo.
Carolina Meinerz - Diretora, atriz e mestranda em Filosofia pela UFPR. Trabalhou com grandes diretores de teatro, como Antunes Filho, Celso Frateschi, Rubens Rusche e Alexandre Reinecke. Dentre suas experiências com Artes Cênicas destacam-se: direção dos espetáculos Salomé - de Fausto Fawcett (que participou da Mostra Oficial do 27º Festival de Teatro de Curitiba e pelo qual ganhou sete troféus no 37º Troféu Gralha Azul, maior prêmio das artes cênicas do estado do Paraná, dentre os quais Melhor Direção e Melhor Espetáculo) e Corte Pálido (pelo Núcleo de Encenação SESI PR). Foi coordenadora de performances no International Federation for Theatre Research Conference (IFTR 2017) na USP (SP). É uma das idealizadoras da Cia de Teatro do Urubu.

AEN

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios