Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A partir do dia 05 de novembro a TV Aparecida estreia o seu novo pacote mensal de filmes com exibições às sextas-feiras e aos domingos. Além de títulos da franquia “Mazzaropi”, a emissora destaca o documentário “Pantanal, a Boa Inocência de Nossas Origens”. A produção, que vai ao ar no dia 28 de novembro, às 15h, mostra a exuberância natural do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul e o dia a dia dos moradores da maior planície alagada do mundo.

Confira a programação de cinema completa e as sinopses:

05/11 (sexta-feira), às 21h15

Fuzileiro do Amor 

07/11 (domingo), às 15h

Saberes do Vale (inédito)

12/11 (sexta-feira), às 21h15

Chico Fumaça 

14/11 (domingo), às 15h

Depois Daquele Baile 

19/11 (sexta-feira), às 21h15

O Noivo da Girafa 

21/11(domingo), às  15h

Vazio Coração 

26/11 (sexta-feira), às 21h15

O Corintiano 

28/11 (domingo), às 15h

Pantanal, a Boa Inocência

Fuzileiro do Amor

José Ambrósio é um modesto sapateiro que entra para o Corpo de Fuzileiros Navais para agradar o pai da namorada, um sargento reformado. Mas, mole do jeito que é, o caipira José Ambrósio passa a ter problemas com o sargento-instrutor. Para complicar ainda mais, surge Ambrósio José, seu irmão gêmeo e sargento do Corpo de Fuzileiros Navais. O recruta atrapalhado é confundido com seu irmão, transformando o quartel em uma bagunça total.

Saberes do Vale 

A obra retrata os saberes e os fazeres que são patrimônios imateriais do Vale do Paraíba, com o objetivo de documentar, preservar e divulgar as características da região. Os saberes e fazeres foram selecionados a partir de quatro dimensões: Brincar, Comer, Criar e Morar. Com essas portas de entrada, um intenso processo de pesquisa foi realizado em diferentes municípios do Vale do Paraíba. Os temas abordados incluem construções de pau-a-pique, a produção de farinha e a feitura de paçocas, a fabricação artesanal de brinquedos e o próprio brincar, além das tradicionais figuras de barro da região.

Chico Fumaça

Um matuto leva o apelido de Chico Fumaça por gostar de trens. Por causa de várias dificuldades e pressões que enfrenta na vida, ele decide caminhar pela linha do trem e descobre que a chuva derrubou uma ponte usada para a travessia das composições. Chico consegue parar o trem e evita uma grande tragédia. O político, Doutor Limoeiro, que era um dos passageiros, decide usar o matuto, que é tido como um herói, em sua campanha política.

Depois Daquele Baile

Na pensão, os clientes mais assíduos de Dóris são Freitas e Otávio, dois amigos que têm em torno de 60 anos e disputam o coração da viúva. Tudo muda quando Freitas propõe uma aposta a Otávio. Quem ganhar terá um mês para conquistar Dóris e o perdedor será obrigado a abrir caminho para o rival.

O Noivo da Girafa

Aparício Boamorte é empregado de um zoológico no Rio de Janeiro, onde é muito satirizado por seus colegas de trabalho e pelo chefe. Por isso, ele se apega a uma girafa, recebendo o apelido de "noivo da girafa". Um dia, a filha do dono da pensão onde Aparício mora, fica doente e é acusado de ter passado a doença dos animais para a menina. Então, é obrigado a ir ao médico. Sem dinheiro, ele consulta um veterinário do zoológico que confunde seus exames com um animal doente e lhe dá quinze dias de vida.

Vazio Coração

ugo Kari é um cantor famoso que decide fazer uma pausa em sua agenda para encontrar o pai, o embaixador Mário Menezes. Juntos, eles tentam ajustar uma relação despedaçada pelo tempo e por conflitos.

O Corintiano

O barbeiro Manoel é torcedor fanático do Corinthians. Entre as loucuras que faz pelo time estão: brigas com os seus vizinhos palmeirenses, promessas malucas, a compra de todos os jornais das bancas quando o seu time perde e a insistência para que o seu filho abandone o curso de Medicina para jogar no Corinthians. Ele ainda tem uma filha, que deseja ser bailarina.

Pantanal, a Boa Inocência de Nossas Origens 

O documentário viaja pelas regiões de Barão de Melgaço, São Pedro de Joselândia, Nhecolândia, Miranda, Cáceres e Poconé, mostrando a exuberância natural do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul e o dia a dia dos moradores da maior planície alagada do mundo, no coração da América do Sul. Partindo do olhar dos personagens, vamos entender melhor o frágil equilíbrio entre homem e natureza, num lugar desafiador para o ser humano, onde é impossível não entender que somos parte de algo muito maior, no qual o movimento das secas e das enchentes determina a forma de viver.

Vera Jardim/Asimp

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.