Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Curitiba receberá recursos de aproximadamente R$ 87 milhões para investimento na área de saúde. No sábado, 18, a ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, e o prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet (PDT), assinaram o convênios entre prefeitura e governo federal para a construção do Instituto da Mulher, no Sítio Cercado, e do Hospital da Zona Norte, no Tarumã.
 
Para a construção do Instituto da Mulher, a prefeitura receberá R$ 26,4 milhões do governo federal. Para o secretário de Saúde de Curitiba, Adriano Massuda, o objetivo desse Instituto é melhorar ainda mais o atendimento prestado às mulheres. Segundo o Ministério da Saúde, o Instituto será referência no atendimento à mulher e à criança. Padilha reforçou que o local também terá serviços especializados para atender as mulheres vítimas de violência.
 
O governo federal também fará um investimento de R$ 30 milhões para a construção do Hospital da Zona Norte. O novo hospital, que terá custo total de R$ 60 milhões, sendo metade oriunda do governo federal e a outra metade do Estado, deve ser inaugurado em 2016. O novo hospital deve beneficiar cerca de três milhões de pessoas de Curitiba e também dos municípios da Região Metropolitana nas áreas de trauma, agravos clínicos referenciados e cirurgias eletivas.
 
Gleisi Hoffmann destacou os investimentos realizados na capital paranaense como fundamentais. “A área da saúde é uma das áreas que a presidenta mais tem se dedicado e encontra respaldo aqui em Curitiba, com a apresentação de projeto, com determinação e com muito trabalho”, afirmou. De acordo com Gleisi, os recursos que vêm para Curitiba são do Orçamento Geral da União (OGU).
 
O prefeito Gustavo Fruet, salientou a parceria que a prefeitura do município tem com o governo federal. “Ampliamos a capacidade nas Unidades de Saúde e hoje nós vamos reforçar as equipes do Programa Saúde da Família, leitos no hospital Zilda Arns e também leitos nos Centros de Atendimento Psicossocial, tanto para usuários de álcool quanto para usuários de droga do Programa Crack é Possível Vencer, mas também para pessoas que tem transtornos mentais.” Padilha enalteceu o trabalho que vem sendo realizado na área da saúde em Curitiba e destacou a redução em 10% da mortalidade infantil na cidade no último ano.
 
Balanço
 
O secretário de Saúde, Adriano Massuda, apresentou um balanço dos investimentos realizados na área da saúde na capital. Segundo os dados da Prefeitura, foram destinados mais R$ 1,4 bilhões de reais para a área em 2013. No período, o número de equipes de Saúde da Família chegou a 229. Também houve ampliação no horário de atendimento das Unidades Básicas de Saúde (UBS). Atualmente, são dez UBS que atendem até às 22 horas. O secretário anunciou que a próxima Unidade a ter o horário estendido é a do Pilarzinho. A meta, segundo o secretário, é chegar em 27 unidades funcionando até às 22 horas.
 
Massuda, ressaltou os repasses de mais de R$ 100 milhões de reais do governo federal investidos no aumento do custeio da atenção básica. “O investimento federal fez com que a gente reformasse um terço das nossas Unidades de Saúde que nunca tinham sido reformadas. Vinte e sete Unidades já reformadas nesse primeiro ano e mais 60 nesse segundo ano. Vamos ter 97 Unidades de Saúde reformadas com recurso federal”, disse Massuda que destacou que, somando aos investimentos do Hospital da Zona Norte e o Instituto da Mulher, esse é o maior investimento da história da Curitiba na área da saúde.
 
Iris Alessi/Agência Notícias PR

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios