Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

As exclusões do cadastro de negativados continua sua tendência de elevação, no entanto, o mês de julho reverteu a tendência verificada no mês anterior e teve significativa elevação no percentual de consumidores que tiveram seu nome inscrito no cadastro de restrição ao crédito

Os indicadores do Sistema de Proteção ao Crédito da Associação Comercial e Industrial de Londrina (SPC/ACIL) do mês de julho mostram que a quantidade de consumidores que estavam com restrição ao crédito e conseguiram ‘limpar’ o nome continua seu ciclo positivo. Na comparação com julho do ano passado, foram 11% mais pessoas que  pagaram ou renegociaram suas dívidas, deixando o cadastro negativo.

Nestes sete meses de 2021, a quantidade de consumidores que conseguiram sair do cadastro de negativados é 9% maior que no mesmo período de 2020.

Por outro lado, o número de consumidores que tomaram crédito e não conseguiram quitar as parcelas de sua dívida foi 97% maior que em julho do ano passado. Sobre isso, o consultor econômico da ACIL, Marcos Rambalducci, explica que uma análise mais apurada dos números  ajuda a entender a elevação tão abrupta no percentual de negativados. "O mês de julho de 2020 apresentou o menor número absoluto de consumidores que tiveram seu nome incluído no cadastro negativo em decorrência da opção dos comerciantes em não informar o atraso no pagamento devido a situação econômica delicada por que passava a economia naquele momento. Desta forma, a base de comparação entre os meses de julho de 2020 e 2021 não refletem corretamente o comportamento do consumidor londrinense", avalia.

De acordo com Rambalducci, como termo de comparação, basta verificar que o número absoluto de consumidores que tiveram seu nome negativado em julho deste ano é 8% menor que a média dos anos anteriores, excluindo 2020.

"Esta análise é importante no sentido de não permitir que o exame simples dos resultados crie uma percepção equivocada da verdadeira tendência do potencial de assunção de crédito por parte do consumidor londrinense", destaca o consultor.

Asimp/ACIL

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.