Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O faturamento real (descontada a inflação) dos estabelecimentos comerciais de varejo paranaense, na definição ampliada (que contempla, além do varejo, as atividades de veículos, motos, partes e peças e de materiais de construção) expandiu 5,3% em fevereiro de 2014, na comparação com fevereiro de 2013, frente crescimento de 8,4% para o Brasil, segundo a Pesquisa Mensal do Comércio (PMC) realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

De acordo com a economista Patrícia Adriana Ostapechen Krüger, do Núcleo de Macroeconomia e Conjuntura do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (Ipardes), a expansão assinalada pelo comércio do Paraná exprime a maior disponibilidade de renda da população e o aquecimento do mercado de trabalho regional, que mantém a geração de empregos mais nobres (com maiores rendimentos), em sua maioria no interior do Estado.

O desempenho do Estado está atrelado ao aumento nas vendas de artigos de uso pessoal e doméstico (19,3%), eletrodomésticos (18,6%), combustíveis e lubrificantes (17,6%), artigos farmacêuticos e de perfumaria (10,4%), material de construção (9,4%) e tecidos, vestuário e calçados (7,5%).

No acumulado do primeiro bimestre de 2014, o comércio paranaense avançou 5,2%, ante acréscimo de 6,5% na média nacional. As principais contribuições positivas vieram dos ramos de combustíveis e lubrificantes (14,8%), eletrodomésticos (14,3%), artigos de uso pessoal e doméstico (12,0%), material de construção (9,1%) e artigos farmacêuticos e de perfumaria (8,5%).

No indicador acumulado em doze meses, encerrados em fevereiro de 2014, as vendas reais do comércio regional superaram o resultado nacional, com ampliação de 6,6%, contra evolução de 3,9% para o País. Foi o segundo melhor desempenho entre os estados do Sul e Sudeste, atrás apenas do Rio Grande do Sul (7,5%). As principais contribuições vieram dos segmentos de eletrodomésticos (13,0%), combustíveis e lubrificantes (12,6%), artigos farmacêuticos e de perfumaria (10,5%) e livros, jornais, revistas e papelaria (10,1%).

Na mensuração restrita (que não considera os ramos de veículos, motos e material de construção), o volume de vendas no Paraná expandiu de 7,7% no mês de fevereiro, 6,9% no acumulado do primeiro bimestre e 6,9% em doze meses (terminados em fevereiro). No Brasil, o faturamento comercial mostrou variação de 8,5% no mês, 7,4% no ano e 5,0% em doze meses.

AEN 

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.