Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Evento realizado pelo Sebrae/PR apresentou indicadores e previsões úteis para a tomada de decisões diante das novas oportunidades de negócios

A retomada do crescimento da construção civil foi tema de evento realizado ontem (4) pelo Sebrae/PR em parceria com a High Design, ARQ+ e DW! e entidades do setor. Com a presença de empresários, engenheiros e arquitetos, o expert em Inteligência de Mercado, Lauro Andrade, apresentou indicadores e previsões sobre o novo ciclo de crescimento do setor.

O mercado da construção civil iniciou 2020 com a perspectiva de forte retomada do crescimento. Segundo Andrade, os números mostram a recuperação do setor após quatro anos de crise. “Tivemos um período com mais inflação, alta na taxa de juros, desemprego. Mas, em 2019, o mercado imobiliário já apresentou crescimento em torno de 10% em relação ao ano anterior.”

O cenário atual, com maior disponibilidade de crédito, baixas taxas de juros e inflação controlada, sustenta as previsões otimistas. A retomada, no entanto, vem com diferenças significativas em relação ao período pré-crise. “O mercado vai exigir uma maior preocupação com a qualidade da performance do que vai ser entregue. No boom da década passada, havia uma demanda tão reprimida que tudo o que se fazia era vendido. Agora, o mercado vai exigir posturas diferentes das empresas em relação à qualidade dos projetos”, explicou Andrade.

Essa leitura macroeconômica do mercado é, segundo o gerente da Regional Norte do Sebrae/PR, Fabrício Bianchi, essencial para que as empresas do setor possam se preparar para usufruir das oportunidades. “Nosso objetivo com o evento é desdobrar as informações para que os empresários locais tenham melhores condições para tomadas de decisões”, afirmou.

O gerente regional da Plaenge, Rodolfo Sugeta, confirma a recuperação da construção civil e a necessidade de estar preparado para as novas exigências do setor. “Temos agora um cenário mais seguro para a compra de imóveis, com taxas de juro mais baixas e oferta de crédito. Para aproveitar essas oportunidades, é preciso se preparar antes e foi isso que fizemos nos últimos anos, melhorando nossos processos internos, desenvolvendo pessoas”, contou.

O arquiteto Clovis Bohrer afirma que já foi possível sentir na rotina do escritório o reaquecimento do mercado. “A construção civil é o primeiro setor a sentir a crise, mas é também o primeiro a sair dela e nós já percebemos em 2019 o início dessa recuperação”, contou. Segundo ele, a retomada do crescimento vem acompanhada do avanço tecnológico. “Já temos uma visão de maior inovação, com muito mais reponsabilidade nas atividades e ferramentas no desenvolvimento desse mercado”, contou.

Juliana Gonçalves/Asimp/Sebrae

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.