Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Em carta a ser enviada aos candidatos à presidência, instituições defendem o Sistema Nacional de Fomento (SNF) e pedem a retomada do crescimento econômico e sustentável do país.  Documento é assinado por 31 instituições financeiras de desenvolvimento, entre elas o BRDE.

As instituições financeiras que integram a Associação Brasileira de Desenvolvimento (ABDE), entre elas o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), lançaram uma Carta de Posicionamento ontem (5) em defesa do Sistema Nacional de Fomento (SNF), dando início à campanha pela retomada do crescimento econômico e sustentável do país. 

O documento, assinado pela ABDE e 31 instituições financeiras de desenvolvimento, defende políticas públicas voltadas ao segmento como caminho para a recuperação da economia nacional e será enviada aos candidatos à Presidência da República. A campanha marca também a data 5 de julho como Dia do Sistema Nacional de Fomento.

A campanha prevê reuniões com assessores econômicos das campanhas presidenciais e encontros com os próprios candidatos. Como parte do movimento, uma campanha nas redes sociais, intitulada #euapoioSNF, dará visibilidade à carta de posicionamento e a  informações sobre os números do SNF e a atuação das instituições de fomento no âmbito regional.

 Na carta, as instituições dizem que o Brasil possui uma rede consolidada de fomento e propõem o alinhamento das políticas econômicas com o SNF para definição de ações que promovam o avanço socioeconômico do país. O documento foi construído com base nas entrevistas feitas com os 31 associados da ABDE.

São associados à ABDE bancos de desenvolvimento regionais e estaduais, bancos públicos federais e agências de fomento, bancos comerciais com carteira de desenvolvimento, bancos cooperativos, Finep e Sebrae. Essas instituições são responsáveis por mais de 54% de todas as operações de crédito do sistema financeiro brasileiro.

Oferta de crédito

De acordo com dados do Banco Central, em comparação com o sistema financeiro privado, as instituições do SNF estão mais comprometidas com a oferta de crédito, mobilizando parcela mais representativa de seus recursos para essa finalidade. Além disso, o SNF responde por 78% dos financiamentos produtivos do país.

As instituições entendem que o SNF desempenhará papel crucial no desfio de aumentar a taxa de investimento no país, hoje em 15% - uma das mais baixas da história - para até 25%. Destacam ainda a importância do desenvolvimento regional, devendo o governo federal alinhar a política nacional com as particularidades e diferenças das políticas regionais. 

Leia a Carta de Posicionamento da ABDE na íntegra: http://abde.web6205.kinghost.net/noticias/carta-de-posicionamento-da-abde/

Informações: www.brde.com.br

Sandra Regina Machado Nassar/Asimp

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios