Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Dados do Caged registraram um saldo positivo entre admitidos e desligados de 176 vagas no quarto mês do ano

Município voltou a apresentar saldo positivo na geração de empregos de acordo com os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) de abril. Durante o mês, a cidade teve uma evolução de 176 postos de trabalho. Foram 6.166 trabalhadores contratados e 5.990 profissionais desligados das empresas. Foi o terceiro mês, em quatro de 2019, no qual o emprego formal cresceu no município. No acumulado do ano são 1.370 vagas criadas. Em abril, o setor que mais criou vagas foi o de serviços, com 187 contratações, enquanto a construção civil representou a maior perda, com o saldo de 61 posto negativos.

Para o secretário municipal do Trabalho, Emprego e Renda, Elzo Carreri, os dados apontam para uma estabilidade. “Registramos este ano uma curva de ascensão. Tivemos em março uma leve desaceleração no saldo geral, mas muito próxima de zero em representação percentual. Londrina tem reagido bem à crise que persiste e às movimentações econômicas e políticas do Brasil. São quase 1.500 vagas criadas no ano e temos a perspectiva de que esse crescimento continue nos próximos meses. Temos tido uma quantidade boa de oferta de vagas via Secretaria, grandes empresas se instalando na cidade e isso nos deixa confiantes de que os números continuem positivos”, afirmou Carreri.

O secretário ainda se mostrou preocupado com o setor da construção civil. “Esse é um setor no qual estávamos com uma expectativa de recuperação mais rápida. A cidade tem lançado novos empreendimentos imobiliários, tanto residenciais quanto comerciais, e a oferta de empregos na construção civil ainda não teve uma resposta tão positiva quanto esperávamos. Ao longo de 2019 foram apenas 43 vagas criadas, o que, frente às obras que estão sendo realizadas na cidade, é um pouco abaixo do esperado. Se comparado aos últimos 12 meses, quando o setor fechou quase 500 postos de trabalho, é uma evolução, ainda tímida, mas uma evolução”, analisou Carreri.

NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios