Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Uma das orientações é antecipar a aquisição dos itens, o que ajuda a evitar preços mais altos e longas filas nas papelarias

Janeiro chegou, abrindo a época de compra de material escolar. A despesa, somada a outras típicas da época, pode se tornar pesada no orçamento familiar. Por isso, o Núcleo Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor de Londrina (PROCON-LD) elaborou alguma dicas para ajudar os pais nessa tarefa.

Uma das orientações é antecipar a compra do material, a fim de evitar preços mais altos e longas filas nas papelarias, comuns no período de volta às aulas. Não levar os filhos na hora da compra também pode ser uma saída para economizar, já que as crianças e adolescentes são facilmente seduzidos por marcas e propagandas, levando os pais a adquirir produtos mais caros e muitas vezes desnecessários.

Segundo o diretor-executivo do PROCON-LD, Gustavo Richa, não podem ser inclusos, na lista, materiais de uso comum (produtos de higiene e de limpeza), bem como itens utilizados na área administrativa. “É importante lembrar que a lista de materiais fornecida pela escola não pode exigir marcas ou que a compra seja realizada em determinado estabelecimento comercial. Além disso, as unidades escolares só podem requerer os materiais utilizados nas atividades pedagógicas diárias do aluno, em quantidade coerente”, frisou.

Fazer uma pesquisa de preços também é fundamental para economizar, pois os itens podem apresentar uma diferença grande nos preços praticados por cada estabelecimento. “É possível solicitar o orçamento completo nestes locais, até mesmo por telefone, sem a necessidade de ir até o estabelecimento, para facilitar a comparação dos valores”, apontou o diretor-executivo do PROCON-LD.

Outra dica do órgão é sobre a compra em atacado. Grupos de pais e responsáveis podem se unir para, juntos, adquirirem os materiais em maior quantidade, podendo conseguir preços mais competitivos. “Também é possível negociar descontos para pagamento à vista. Aqueles que optarem pelo parcelamento devem ficar atentos se serão cobrados juros e, se possível, optar por menos parcelas”, orientou Richa.

Denúncias

Em caso de dúvidas ou de reclamações sobre descumprimento da legislação, o consumidor pode entrar em contato com o PROCON de Londrina, que fica na Rua Piauí, nº 1.117, Centro. Além da forma presencial, as denúncias podem ser feitas pelo e-mail procon@londrina.pr.gov.br, pelos telefones (43) 3372-4823, 3372-4824 e 3372-4825 ou ainda pelo 151, de segunda a sexta-feira, das 9 às 15 horas. O órgão também disponibiliza o número de WhatsApp (43) 99914-3277 e uma página no Facebook, onde também é possível registrar reclamações.

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios