Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Boletim Focus traz previsões de baixa nos juros e custo de vida caminhando para dentro dos níveis de tolerância

O mercado financeiro passou a esperar uma redução ainda mais intensa da taxa básica de juros (Selic) até o fim do próximo ano, bem como inflação menor com o governo em exercício.

Os dados constam no boletim Focus, uma publicação semanal na qual o Banco Central reúne as previsões de cerca de 100 analistas. Segundo o documento, até o fim do ano o BC deve reduzir esses juros básico de 14,25% ao ano para 13,25%.

No fim de 2017, essa taxa deve cair ainda mais, para 11% ao ano. Esse recuo dos juros ocorre ainda em um cenário de inflação menor. Pelas previsões dessa pesquisa, o custo de vida deve esfriar expressivamente a partir do próximo ano e deve seguir em desaceleração até 2020.

ara os analistas, o ano deve terminar com a inflação oficial em 7,29%. Em 2017, por essas projeções, ela recua para 5,50%. A sequência de melhora nos preços ao consumidor continua e, em 2018, o IPCA deve ficar em 5% ao ano.

Futuro

Em 2019 e 2020, ele chega a 4,5%. Para esse cenário se consolidar, no entanto, o mercado espera que o governo consiga implementar o ajuste fiscal que propôs.

Entre as medidas que precisam ser efetivadas e que podem reduzir o custo de vida no País está a que limita a expansão dos gastos públicos. Com ela, as contas do governo e a economia serão reorganizadas, o que colabora para reduzir o custo de vida.

Como a Selic afeta minha vida?

Os juros básicos são importantes para a economia por ser uma referência para investimentos. É considerado a menor taxa de retorno, ou seja, quando um empresário decide tirar um projeto do papel, ele avalia se o lucro do projeto é maior ou menor que essa taxa básica.

Se o retorno for menor, ele não tira o projeto do papel e aplica o dinheiro em papéis do Tesouro Nacional, que pagam juros próximos desse valor definido pelo BC, ou em outras aplicações financeiras.

Crédito para o consumidor

Esses juros básicos também tem influência direta sobre o quanto um consumidor paga por empréstimos e financiamentos. Quando o BC altera o valor dessa taxa, também altera o custo dos bancos para captar recursos, dinheiro que será emprestado.

Se o custo do banco sobe, o empréstimo também fica mais caro para o consumidor. Se a taxa baixa, esse custo também baixa. Os juros básicos ainda tem uma importância grande porque ajudam a controlar a inflação. Quando o BC sobe a Selic, significa que ele está atuando para levar os preços para baixo.

(Portal Brasil)

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.