Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Pandemia, desemprego, incertezas… Momento ruim para iniciar um negócio, correto? Depende! Em toda situação, especialmente em meio a uma crise, são vários os nichos de mercado que se apresentam com grande potencial de sucesso. Outros, nem tanto. Se, por um lado, vagas de emprego diminuem e empresas fecham, por outro, empreendedores desbravam novos horizontes e conseguem navegar bem em mares agitados.

Mas como iniciar um empreendimento e, ao invés de prosperar, eu acabar “me afundando mais”? A seguir, algumas dicas do que fazer (e, principalmente, do que não fazer).

Dicas de como abrir um negócio

1. Só entre em um negócio quando você tem familiaridade com o mesmo e goste de executar o trabalho. Ou seja, “não invente moda” em querer montar um pet shop sendo que você não gosta de animais, por exemplo.

2. Evite riscos desnecessários e monte um plano de negócios. Na internet, são várias as fontes de informação. O site do Sebrae (https://m.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae), como exemplo, possui material bem didático a respeito. Com o plano de negócios, além de diminuir riscos, o empreendedor terá mais claro o caminho a ser trilhado e a

concretização dos objetivos.

3. Pense grande; mas comece pequeno. Não invista muito dinheiro no início (quando digo muito dinheiro, pode ser tanto R$1.000,00 quanto R$100.000,00, dependendo do negócio). Pois, neste tempo de pandemia, o retorno do investimento precisa ser a curto prazo.

4. Estude seu bairro, sua vizinhança e a região ao seu redor. Quais são as necessidades dos mesmos? Pode ser a de entrega de produtos essenciais (remédios, alimentação, higiene e limpeza), a prestação de serviço (manutenção de casa/eletrodomésticos, passeio com cachorros, cuidador de idosos). Enfim, são várias as ideias que surgem a partir do momento e você conhece a necessidade do ambiente em que vive.

5. Não misture o dinheiro do seu negócio com o dinheiro pessoal. A parte financeira do negócio (entradas, saídas e lucros) precisa estar separada das contas de casa. Caso esteja tudo no mesmo “bolo”, você corre o risco de perder o controle e não saber se o negócio está dando lucro ou prejuízo.

6. Nunca contrate quem você não pode demitir. Fazer negócios com algum parente ou amigo pode ser algo maravilhoso. Mas o dia a dia e os percalços do empreendimento podem acabar com uma relação familiar ou de amizade.

7. Toda empresa só existe se há clientes. Por isso, aprenda a divulgar seu produto ou serviço, principalmente, nas mídias sociais (muitas com custo baixo ou gratuitas).

8. Seja diferente! Não adianta ser igual aos seus concorrentes. O cliente precisa ter a percepção de que o seu produto ou serviço traz mais vantagens.

9. Confie seu negócio ao Senhor, viva na presença d’Ele: “no tempo da calamidade não serão confundidos, nos dias de fome serão saciados” (Sl. 71,19) e “revela ao Senhor tuas tarefas e teus projetos se realizarão” (Pr. 16, 3).

Que Deus abençoe seus propósitos; te dê discernimento e sabedoria para que você consiga atingir os seus objetivos!

Hugo Yamashita de Moura, natural de São Paulo (SP), é missionário na Comunidade Canção Nova desde 2014. Engenheiro de Produção e Sistemas (Universidade Estadual de Santa Catarina) e MBA em Gestão de Projetos (FGV-SP), Moura, atualmente, é Gerente de Compras da Associação Internacional Privada de Fiéis (AIPF-CN) e professor de Judô na Cia. de Artes (FJPII-CN).

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.