Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A economia do Paraná cresceu 2,9% no terceiro trimestre de 2017 em relação ao mesmo período do ano passado. Com a evolução, o Produto Interno Bruto (PIB) do Estado alcançou R$ 101,675 bilhões. Os dados foram divulgados nesta terça-feira (12) pelo Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico Social (Ipardes).

O crescimento do PIB do Paraná foi mais do que o dobro do Brasil, que cresceu 1,4%, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No acumulado do ano, a economia do Paraná registra alta de 2,1%, contra 0,6% do Brasil.

O resultado do Paraná foi influenciado por performances positivas em todos os setores. No terceiro trimestre, na comparação com igual período do ano passado, a agropecuária cresceu 11,1%, a indústria 2,5%, os serviços 2,1% e a geração de impostos 3,1%.

“O Paraná demonstra que o trabalho dos paranaenses, na indústria, no campo, no comércio e serviços, apoiado por uma administração pública voltada ao desenvolvimento socioeconômico, promove resultados melhores que os do país”, afirma o governador Beto Richa. “Deixamos a crise para trás antes, mas o Brasil, felizmente, também segue o caminho de recuperação”.

O diretor presidente do Ipardes, Julio Suzuki Júnior, ressalta que os dados comprovam que o Paraná saiu da crise em uma velocidade mais rápida e em um ritmo mais contundente que o Brasil. “O bom desempenho na agropecuária se estendeu aos demais setores ao longo do ano, o que faz com que o Estado tenha um desempenho mais positivo que a média”, explica.

Com o resultado, o Ipardes revisou mais uma vez a previsão de crescimento da economia do Estado para 2017. A projeção inicial, que era de 1,5%, passou para 2% e agora está em 2,3%. “O Paraná deve crescer mais de duas vezes que o Brasil em 2017, cujas estimativas variam de 0,7% a 1%”, diz.

AMBIENTE - Na avaliação do secretário do Planejamento e Coordenação Geral (SEPL), Juraci Barbosa Sobrinho, o crescimento da economia paranaense é resultado do bom ambiente econômico no Paraná, decorrente de fatores como investimentos em infraestrutura e contas em dia. “O Estado, sendo o maior comprador, contribui nas cadeias produtivas locais”, comenta ao acrescentar ainda a crescente contribuição do Estado ao PIB nacional.

Suzuki Júnior também entende que o ajuste fiscal e o ambiente mais favorável a investimentos no Estado contribuem para o bom desempenho da economia. “O setor produtivo se sente mais seguro em investir em um Estado que soube fazer o ajuste, cumpre as suas obrigações salariais e preserva, dessa maneira, o poder de consumo da população”, diz o economista.

TRIMESTRE - No campo, o destaque do terceiro trimestre foi a safra de inverno, com o crescimento da colheita de milho. No setor industrial, a expansão de 2,5% foi favorecida pela indústria de transformação, na qual se destacam a produção de máquinas e equipamentos (14,8%) e veículos automotores (11,4%). O período também foi marcado pelo resultado positivo da construção civil, após vários trimestres no negativo nesse comparativo.

No trimestre, houve recuperação de vendas no comércio, em que sobressaiu a comercialização de combustíveis, de equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação. Também foram registrados crescimentos da área de transportes, armazenagem e correios, e de serviços prestados às famílias.

As contribuições negativas ficaram por conta da produção de energia elétrica, afetada pela redução dos níveis dos reservatórios, com relação à observada em 2016. Ao mesmo tempo, serviços de informação e comunicação impediram melhor desempenho no setor de serviços.

ACUMULADOS – A safra recorde, de 41 milhões de toneladas de grãos, e a expansão da indústria de transformação em todos os trimestres do ano, além da recuperação do setor de serviços, contribuíram para o desempenho no acumulado de janeiro a setembro de 2017. A agropecuária cresceu 11% no período, a indústria (1,3%), os serviços (1,4%) e a geração de impostos (1,6%).

No acumulado de quatro trimestres, a economia do Paraná cresceu 1,5%, acumulando um PIB de R$ 412,784 bilhões. O valor corresponde a 6,4% do PIB nacional. Em termos setoriais, o Paraná responde por 11,8% da agropecuária do País, enquanto a indústria e os serviços são responsáveis por 7,6% e 5,7%, respectivamente.

AEN

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.