Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A redução da inadimplência de consumidores em Londrina é um dado positivo e indica uma retomada na geração de empregos e no potencial do mercado de consumo. A avaliação é do advogado Jossan Batistute, sócio do escritório Batistute Advogados, especializado em questões societárias, gestão patrimonial e imobiliárias. É que, segundo o Sistema de Proteção ao Crédito da Associação Comercial e Industrial de Londrina (Acil), em abril a redução da quantidade de consumidores incluídos no cadastro de inadimplência teve queda de 21% na comparação com abril de 2018. Nos quatro primeiros meses deste ano em relação ao ano passado, a queda é de 20%.

“A retomada do crédito mediante exclusão do nome de listas de inadimplentes é positiva na medida em que coloca novamente no mercado de consumo pessoas com mais condições para negociar, fazer compra parcelada ou tomar novos créditos. Mas, é preciso um alerta: estando ou já tendo saído da lista de inadimplentes, o consumidor que tem ou teve o nome indevidamente incluído em listas de inadimplência ainda pode buscar seus direitos”, ressalta o advogado Jossan Batistute.

De acordo com ele, conforme experiência de decisões judiciais, esse tipo de ação costuma dar direito ao consumidor à indenização por danos morais e materiais. “O consumidor busca liminar para imediatamente excluir o nome do cadastro de inadimplentes e também almeja uma indenização por danos morais, que costuma ser entre R$ 5 mil e R$ 15 mil, além de juros e correção monetária, que podem fazer o valor subir bastante.”

Para a Acil, os dados revelam consciência do comportamento do consumidor, manutenção das contas em dia e redução de compras no crédito. “Tudo isso é importante porque mostra uma educação financeira mais apurada, o que evita transtornos judiciais de todas as formas, seja do protesto do consumidor inadimplente ou da indenização por dano moral do consumidor incluído indevidamente”, avalia Jossan Batistute. Mas, ainda é preciso avançar nesses aspectos. Isso porque, conforme os dados divulgados pela Acil, também diminuiu o número de consumidores que conseguiu retirar o nome do cadastro de inadimplência: o recuo foi de 11,7% em abril e 35% menor nos quatro primeiros meses do ano.

Fábio Luporini/Asimp

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.