Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Clima atípico e expectativa alta comprometeram nível de satisfação dos varejistas

Uma pesquisa encomendada pela ACIL apontou que as vendas do Dia das Mães foram bem avaliadas pelos setores de beleza e cosméticos (57,1%), ótica, relojoaria e joalheria (50%) e semijoias (50%). Segmentos como calçados (41,7%), roupas e confecções (33,3%), móveis e decorações (25%) tiveram resultados abaixo do esperado. “O frio é sempre avaliado como um fator que ajuda a alavancar as vendas no comércio para a data do Dia das Mães, especialmente para setores de confecção e calçados.  O frio intenso e mais rigoroso demorou um pouco mais para chegar em 2018, o que acabou contribuindo para que as vendas ficassem mais desaquecidas”, explica o vice-presidente da ACIL Fernando Moraes.

Apesar dos segmentos que conquistaram boas vendas neste ano, o resultado não foi suficiente para superar os números de 2017.  Enquanto as vendas avaliadas como ótimas e boas resultaram em 40% (contra 42,9% no ano passado), a soma de regular, ruim e péssimo foi 57,5%.

O consultor econômico da ACIL, Marcos Rambalducci, acredita que os sinais de frustração dos varejistas estejam relacionados com uma expectativa de vendas altas, o que não se observava em maio de 2017. “Inflação mais baixa, juros mais baixos, dados bons no varejo estadual e nacional, tudo isso acabou gerando um otimismo que não se via no ano passado. Entendo que esta é a explicação para uma avaliação pior nesta comparação”, esclarece.

O levantamento apontou também que quase 50% dos entrevistados não utilizaram nenhuma estratégia diferenciada para atrair consumidores até as lojas nesta data especial. “O cenário econômico e político como um todo ainda sofre divergências e oscilações, por isso também sempre orientamos que os comerciantes apostem em ações criativas para chamar a atenção do consumidor”, ressalta Fernando Moraes.

Sobre as formas de pagamento mais utilizadas nas compras pelos consumidores estão parcelamento no cartão de crédito (39,1%), à vista em dinheiro/cheque (18,1%), à vista no cartão de crédito (14,5%), cartão de débito (13,3%), crediário (9,4%) e parcelamento em cheque (1,8%).

Para o segundo semestre de 2018, 79,2% dos lojistas acreditam na melhora das vendas, 18,3% responderam que as vendas devem se manter igual e 2,5% apostam que irão piorar.  A pesquisa - encomendada pela ACIL - foi elaborada pela Litz Estratégia e Marketing e as opiniões foram coletadas por telefone.

Asimp/Acil

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.