Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Iniciativa é viabilizada pela Prefeitura de Londrina; baixas taxas de juro e parcelamento em até 36 vezes são algumas das condições especiais para os empréstimos

Micro e pequenos empresários de Londrina continuam recebendo suporte financeiro do Município, durante o período de pandemia, por meio dos empréstimos facilitados concedidos pelo Fundo Garantidor de Crédito. A aprovação de créditos já alcançou a marca de R$ 9,87 milhões, levando em conta o montante computado desde junho de 2020, quando os repasses começaram.

Deste total, o valor já liberado é de R$ 8 milhões, sendo que R$ 1,87 milhão representa as cartas já aprovadas, mas que ainda aguardam autorização para a liberação efetiva dos repasses. Até o momento, foram contempladas 190 empresas locais, que tiveram a oportunidade de investir e obter capital de giro para manter e fortalecer seus negócios. Além das empresas já beneficiadas pelos repasses, cerca de 100 empresas estão em fase de solicitação ou análise de crédito. Os benefícios abrangem Microempreendedores Individuais (MEIs), micro e pequenas empresas, além de ambulantes regularizados com CNPJ. O ticket médio atual de acesso está em cerca de R$ 40 mil.

Criado em 2020, o Fundo Garantidor de Crédito é um instrumento implantado pela Prefeitura de Londrina e Câmara Municipal, como uma das medidas de enfrentamento à crise financeira desencadeada pela pandemia do novo coronavírus. O Fundo é mantido via convênio com a Garantinorte-PR, responsável pela aprovação dos empréstimos, e que disponibiliza a carta de garantia aos que cumprem os requisitos exigidos.

Por meio deste programa, os empresários conseguem empréstimos em condições especiais, com taxas abaixo dos valores de mercado, flutuando de 0,50% a 0,70%. As possibilidades de empréstimos circulam entre R$ 15 mil e R$ 170 mil, parcelados em até 36 meses, de acordo com a linha desejada pelo cliente. O aporte do Município para o Fundo é de R$ 5 milhões, que poderão se reverter em até R$ 50 milhões em empréstimos.

A diretora executiva da Garantinorte-PR, Joyce Giron, avaliou como positiva a evolução dos empréstimos concedidos pelo Fundo Garantidor, e frisou que o nível de inadimplência dos credenciados é tecnicamente zero. “Passado algum tempo do início da pandemia, a procura pelos créditos facilitados vem aumentando. Os empresários que antes estavam mais receosos, mas conseguiram equilibrar suas finanças, agora se sentem mais confiantes para investir e a tendência é que os empréstimos sejam ampliados em 2021. Um reflexo positivo é que os londrinenses estão usando esse dinheiro de forma muito consciente. A prova é que, das 190 empresas já atendidas, apenas seis delas utilizaram os 6 meses de carência a que tem direito, os pagamentos estão em dia e a inadimplência é zero”, contou.

Segundo Giron, a maior procura atualmente é por parte dos MEIs, que utilizam os empréstimos principalmente para a aquisição de equipamentos, aparelhagens e outros itens para o funcionamento de suas empresas. Por sua vez, o uso referente aos micro e pequenos empresários é mais voltado para incremento do capital de giro. “Temos uma boa perspectiva de crescimento agora para 2021, percebendo a maior adesão e interesse deste público, especialmente entre os MEIs. A expectativa é alavancar os empréstimos e fortalecer a economia local em Londrina, com intenção de alcançar os R$ 40 milhões em créditos concedidos que o Fundo Garantidor permite para a cidade. É necessário potencializar a divulgação e mostrar que são empréstimos viáveis com boas condições. Há simulação e análise gratuitas e uma equipe própria para orientar quem tiver interesse”, acrescentou.

Como funciona

Com a carta de garantia em mãos, expedida pela Garantinorte-PR, os empresários podem obter o repasse dos valores em cinco instituições financeiras parceiras: Sicoob, Sicredi, BRDE, CRESOL e Fomento Paraná.

O Fundo Garantidor de Crédito se compromete a pagar até 75% da dívida existente dos empresários junto às instituições financeiras parceiras, quando encerradas todas as formas de cobrança ao devedor. Após a análise de documentação e aprovação, é concedida uma Carta de Garantia de pagamento. Depois, a documentação é enviada para a instituição financeira dar sequência no processo de abertura da conta, análise e liberação do recurso. As vantagens são facilidades nos empréstimos, com linhas de juros baixas, bem como a redução de riscos e danos às instituições.

Linhas

Na Linha Emergencial Covid-19, categoria especial criada para o enfrentamento à pandemia do novo coronavírus, a taxa pode ser de 0,50% ao mês mais CDI, a serem feitos em até 36 meses, com seis meses de carência; ou com juros de 0,59%, em 18 vezes, e seis meses de carência. Já a Linha Convencional funciona com juros de 0,70% ao mês, mais CDI, e parcelamento em até 36 meses com três meses de carência.

NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.