Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Iniciativa é viabilizada pela Prefeitura de Londrina; baixas taxas de juro e parcelamento em até 36 vezes são algumas das condições especiais para os empréstimos

Micro e pequenos empresários de Londrina continuam recebendo suporte financeiro do Município, durante o período de pandemia, por meio dos empréstimos facilitados concedidos pelo Fundo Garantidor de Crédito. A aprovação de créditos já alcançou a marca de R$ 9,87 milhões, levando em conta o montante computado desde junho de 2020, quando os repasses começaram.

Deste total, o valor já liberado é de R$ 8 milhões, sendo que R$ 1,87 milhão representa as cartas já aprovadas, mas que ainda aguardam autorização para a liberação efetiva dos repasses. Até o momento, foram contempladas 190 empresas locais, que tiveram a oportunidade de investir e obter capital de giro para manter e fortalecer seus negócios. Além das empresas já beneficiadas pelos repasses, cerca de 100 empresas estão em fase de solicitação ou análise de crédito. Os benefícios abrangem Microempreendedores Individuais (MEIs), micro e pequenas empresas, além de ambulantes regularizados com CNPJ. O ticket médio atual de acesso está em cerca de R$ 40 mil.

Criado em 2020, o Fundo Garantidor de Crédito é um instrumento implantado pela Prefeitura de Londrina e Câmara Municipal, como uma das medidas de enfrentamento à crise financeira desencadeada pela pandemia do novo coronavírus. O Fundo é mantido via convênio com a Garantinorte-PR, responsável pela aprovação dos empréstimos, e que disponibiliza a carta de garantia aos que cumprem os requisitos exigidos.

Por meio deste programa, os empresários conseguem empréstimos em condições especiais, com taxas abaixo dos valores de mercado, flutuando de 0,50% a 0,70%. As possibilidades de empréstimos circulam entre R$ 15 mil e R$ 170 mil, parcelados em até 36 meses, de acordo com a linha desejada pelo cliente. O aporte do Município para o Fundo é de R$ 5 milhões, que poderão se reverter em até R$ 50 milhões em empréstimos.

A diretora executiva da Garantinorte-PR, Joyce Giron, avaliou como positiva a evolução dos empréstimos concedidos pelo Fundo Garantidor, e frisou que o nível de inadimplência dos credenciados é tecnicamente zero. “Passado algum tempo do início da pandemia, a procura pelos créditos facilitados vem aumentando. Os empresários que antes estavam mais receosos, mas conseguiram equilibrar suas finanças, agora se sentem mais confiantes para investir e a tendência é que os empréstimos sejam ampliados em 2021. Um reflexo positivo é que os londrinenses estão usando esse dinheiro de forma muito consciente. A prova é que, das 190 empresas já atendidas, apenas seis delas utilizaram os 6 meses de carência a que tem direito, os pagamentos estão em dia e a inadimplência é zero”, contou.

Segundo Giron, a maior procura atualmente é por parte dos MEIs, que utilizam os empréstimos principalmente para a aquisição de equipamentos, aparelhagens e outros itens para o funcionamento de suas empresas. Por sua vez, o uso referente aos micro e pequenos empresários é mais voltado para incremento do capital de giro. “Temos uma boa perspectiva de crescimento agora para 2021, percebendo a maior adesão e interesse deste público, especialmente entre os MEIs. A expectativa é alavancar os empréstimos e fortalecer a economia local em Londrina, com intenção de alcançar os R$ 40 milhões em créditos concedidos que o Fundo Garantidor permite para a cidade. É necessário potencializar a divulgação e mostrar que são empréstimos viáveis com boas condições. Há simulação e análise gratuitas e uma equipe própria para orientar quem tiver interesse”, acrescentou.

Como funciona

Com a carta de garantia em mãos, expedida pela Garantinorte-PR, os empresários podem obter o repasse dos valores em cinco instituições financeiras parceiras: Sicoob, Sicredi, BRDE, CRESOL e Fomento Paraná.

O Fundo Garantidor de Crédito se compromete a pagar até 75% da dívida existente dos empresários junto às instituições financeiras parceiras, quando encerradas todas as formas de cobrança ao devedor. Após a análise de documentação e aprovação, é concedida uma Carta de Garantia de pagamento. Depois, a documentação é enviada para a instituição financeira dar sequência no processo de abertura da conta, análise e liberação do recurso. As vantagens são facilidades nos empréstimos, com linhas de juros baixas, bem como a redução de riscos e danos às instituições.

Linhas

Na Linha Emergencial Covid-19, categoria especial criada para o enfrentamento à pandemia do novo coronavírus, a taxa pode ser de 0,50% ao mês mais CDI, a serem feitos em até 36 meses, com seis meses de carência; ou com juros de 0,59%, em 18 vezes, e seis meses de carência. Já a Linha Convencional funciona com juros de 0,70% ao mês, mais CDI, e parcelamento em até 36 meses com três meses de carência.

NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios