Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O primeiro trimestre foi de alta no comércio paranaense. No acumulado no ano, as vendas cresceram 4,43%, de acordo com a Pesquisa Conjuntural da Federação do Comércio do Paraná (Fecomércio PR). Na comparação com fevereiro, houve aumento de 4,24%. O desempenho de março deste ano, entretanto, foi afetado pelo feriado do Carnaval. Com menos dias úteis (22,5 ante 25 em março de 2013), o varejo apresentou queda de 0,02% sobre março do ano passado.

O ramo de óticas teve o maior destaque no acumulado do ano em quatro dos sete polos pesquisados: Ponta Grossa (31,72%), Maringá (22,10%), Londrina (19,94%) e Foz do Iguaçu (18,09%). A boa performance pode ser associada à excepcionalidade do clima no período, com um verão mais intenso do que o de 2013, o que motivou a venda de óculos de sol.
 
O setor de materiais de construção voltou a crescer e acumulou alta de 4% no Estado, com maior ênfase nas cidades de Ponta Grossa (18,21%), Foz do Iguaçu (17,76%), Curitiba (4,56%), Maringá (3,17%). Na mesma esteira, as lojas de móveis, decorações e utilidades domésticas também tiveram boa lucratividade no trimestre, com aumento de 15,83% na soma estadual e de forma mais acentuada na Capital, com 18,7%, e em Maringá, com 18,13%.
 
Por outro lado, as concessionárias de veículos apresentaram os piores indicadores no Paraná, com baixa de -12,61% no trimestre e de -20,02% em comparação a março do ano passado. No acumulado do ano, os índices foram negativos em todas as regiões, sendo que a redução mais expressiva nas vendas do setor foi registrada em Ponta Grossa (-31,29%), seguida pelo Sudoeste (-21,32%), região Oeste (-20,32%), Londrina (-18,29%), Litoral (-12,58%), Maringá (-10,14%), Curitiba e Região Metropolitana (-7,91%) e Foz do Iguaçu (-1,52%). A queda é reflexo da elevação dos preços dos veículos e da restrição ao crédito.
 
Tradicionalmente, o primeiro trimestre apresenta fatores sazonais específicos que o diferenciam do restante do ano. O principal deles é que o período tem vendas menores do que nos demais meses, considerando que é uma época em que o consumidor assume despesas consideráveis, como pagamento do IPTU, IPVA, seguro obrigatório, gastos com férias e material escolar. Tais fatores limitam a capacidade de compra. Outra característica, é que em março ocorre a chamada inversão de tendência com os primeiros indicadores de aquecimento do ano, após o bimestre de férias, liquidações, recessos e Carnaval.
 
Dados regionais
 
O varejo de Curitiba e Região Metropolitana obteve o maior crescimento no trimestre, com alta de 8,44%. Na sequência veio Foz do Iguaçu, com 5,32% e a região Oeste 4,51%, que deixou a liderança no ranking regional de vendas, colocação que mantinha desde junho de 2013. O índice mais modesto do que a média dos últimos meses se deve à retração sofrida pelas concessionárias de automóveis, setor de maior peso na composição da pesquisa.
 
A pesquisa completa e os cadernos regionais estarão disponíveis a partir de hoje (13/05), no site: http://www.fecomerciopr.com.br/servicos/pesquisas/pesquisa-conjuntural
 
Karla Santin/Asimp/Fecomercio/Pr
 

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios