Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.
Assembleia Legislativa do Estado do Paraná

Com aulas presenciais suspensas em diversos estados, a dinâmica de aprendizagem tem se readaptado. Sebrae apoia iniciativas para educação empreendedora e realização de projetos online

O Dia da Escola, celebrado nacionalmente nesta segunda-feira (15/3), traz uma nova perspectiva sobre educação. A pandemia transformou a rotina dos estudantes, dos professores e demais profissionais que trabalham diariamente para que crianças, jovens e adultos se mantenham interessados em estudar. Com as atividades presenciais suspensas em muitas escolas, o modelo de aulas virtuais já faz parte da rotina. Divididos pelas telas, dependendo da conexão com a internet, a dinâmica entre alunos e professores apresenta a cada dia exemplos de determinação e resiliência.

A professora Viviane Souza Cruz é um desses casos, ela leciona para alunos da rede pública municipal na cidade de Wenceslau Braz, no Paraná. A docente é uma das representantes do projeto Jovens Empreendedores Primeiros Passos, que recebe apoio do Sebrae. O objetivo principal da iniciativa é levar conceitos que promovam a educação empreendedora desde cedo nos alunos. Presencialmente, isso era feito com aulas sobre criatividade, inovação, organização, planejamento, responsabilidade, liderança, colaboração, visão de futuro, assunção de riscos, resiliência, entre outros. Em 2020, a professora teve que aplicar esses conceitos e readaptar suas aulas e seus projetos para o formato online, o resultado é surpreendente.

“Tradicionalmente nós recolhemos material reciclável, fazemos produtos com eles e vendemos em uma Feira de Empreendedorismo. Com a pandemia, repensamos e fizemos uma cartilha virtual com os produtos. Dessa forma, conseguimos alcançar diversas pessoas da cidade que compraram online. Os alunos conseguiram concluir seus projetos e no final ainda aprenderam sobre tecnologia, inovação, e-commerce. Foi uma aula sobre digitalização dos negócios”, relembra Viviane. A professora chama atenção para o engajamento dos alunos na iniciativa, segundo ela, conforme as aulas iam acontecendo, eles iam demonstrando mais interesse. Cerca de 90% dos estudantes participam de um jeito ou de outro. É muito interessante, porque quando comecei o projeto eu perguntei para eles o que eles sonhavam em ser e muitos não tinham metas definidas. Hoje em dia já possuem sonhos. A educação empreendedora tem esse poder de despertar sonhos nas pessoas. Acho um espetáculo essa preocupação do Sebrae em incentivar desde cedo o empreendedorismo”, afirma.

Readaptação também é palavra-chave na escola pública José Victor Fontenelle Filho, em Viçosa do Ceará. A instituição realiza anualmente a Feira do Jovem Empreendedor, na praça central da cidade. Por orientação da Secretaria de Educação, tiveram que suspender o encontro presencial. Exercitando o potencial de criatividade e superação, ao longo do ano, os alunos criaram planos de negócios que pudessem ser operados online. Pensaram em estratégias de vendas, criaram perfis nas redes sociais, planejaram toda a publicidade do negócio. Apoiados com material oferecido pelo Sebrae e com a orientação dos professores, conseguiram apresentar em outubro, durante uma live, os produtos e serviços de cada empresa criada.

A escola também fez a Semana Boom, inteiramente dedicada às vendas e publicidade dos negócios, sem interferir na programação das aulas. “A Feira do Jovem Empreendedor é um trabalho que sempre acontece na nossa escola. Ver que conseguimos realiza-la, mesmo de forma online, saber que tantos negócios foram colocados em prática, é muito gratificante. Acredito que nós aprendemos muito, mesmo com a pandemia”, diz Tiago, um dos alunos integrantes do projeto.

Asimp/Sebrae

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios