Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Projeto Interioridades promove o autoconhecimento por meio de atividades como meditação, redações, desenhos e debates

O autoconhecimento é uma das habilidades mais importantes para compreender e identificar processos mentais internos. Quando falamos em adolescentes prestes a tomar a decisão sobre o caminho profissional, conhecer a si mesmo pode ajudar, e muito, a definir a trajetória a seguir, mesmo em tempos de incerteza.

De acordo com o professor de Ensino Religioso e Interioridades do Colégio Marista Londrina, Lucas Alessandro Silva, este ano está sendo desafiador para todos, em especial para os estudantes que estão na fase final do Ensino Médio. “O último ano do Ensino Médio já é diferente por natureza. É uma época de decisões, de cobranças, avaliações e grandes mudanças. Com a pandemia, tudo se torna ainda mais sensível”, analisa.

Para apoiar os jovens que estão nesta fase, foi criado o Projeto Interioridades, que complementa o aprendizado acadêmico com o conhecimento humano e social. De acordo com Silva, o objetivo é formar cidadãos completos, que consigam usar o conhecimento teórico para gerar práticas positivas, seres humanos inteligentes do ponto de vista emocional, explica.

As aulas do projeto abrangem os Anos Finais do Ensino Fundamental e Ensino Médio e usam diversas atividades para fazer os jovens refletirem sobre escolhas, opções e direcionamentos. “Desde práticas de meditação e relaxamento, até redações e autorretratos e conversas são válidas para os momentos de interioridade”, comenta o professor. Com isso, a intenção é que os estudantes desenvolvam o pensamento criativo, a expressividade simbólica, a consciência corporal, o autoconhecimento e a autoestima.

Autoestima e ansiedade

Diferente de outros anos, 2020 tem apresentado desafios extras para todos. Além da ansiedade naturalmente gerada pela escolha da profissão e a preparação para processos seletivos, a pandemia trouxe mais incertezas para os jovens. “Se conhecer, saber que está preparado ou saber onde deve melhorar são caminhos para lidar com a insegurança”, observa Lucas Alessandro Silva. Ele comenta que procura reforçar com os alunos que a pandemia eventualmente acabará e teremos um novo cenário pela frente. “Nesse momento é importante focar em autoconhecimento para poder contornar melhor os desafios atuais e futuros, pois não podemos controlar o ambiente, mas podemos aguçar nossa habilidade para lidar com tudo isso”, exemplifica.

Já no Ensino Fundamental, os alunos foram desafiados a criar, a partir da imaginação, desenhos que revelassem as características e qualidades da identidade pessoal, além de expressarem o que estavam vivenciando neste momento. De acordo com a professora Janaína Pacola Lovato Sanchez, uma das condutoras do projeto nos Anos Finais, essa prática “ajudou os alunos a criarem estratégias de organização pessoal no período da pandemia”.

Luiza Lafuente/Asimp

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios