Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A instituição, que tem cerca de 5 mil alunos, está presente no município há quase 20 anos, quando ainda se chamava Faculdade Metropolitana Londrinense

Com 19 cursos de graduação presenciais e mais de 5 mil estudantes, a Faculdade Pitágoras de Londrina receberá da Câmara Municipal a Medalha Ouro Verde, concedida a instituições e empresas que tenham se distinguido por suas atividades e, como resultado, trazido benefícios para a comunidade londrinense. Prevista na lei 12.835/2019, de autoria do vereador Felipe Prochet (PSD), a honraria será entregue em solenidade agendada para esta sexta-feira (17), às 20 horas, na sala de sessões do Legislativo, com transmissão pelo site www.cml.pr.gov.br e pelo canal da Câmara no Youtube.

A história da Faculdade Pitágoras de Londrina começou no primeiro semestre de 2001, quando ainda se chamava Faculdade Metropolitana Londrinense. Naquele ano a instituição recebeu o credenciamento do Ministério da Educação (MEC) permitindo seu funcionamento e a autorização do órgão para ofertar os cursos de Administração, Comunicação Social – Jornalismo, Direito e Engenharia Elétrica, com 100 vagas em cada graduação. No final de 2007, a faculdade foi adquirida pela Kroton, maior grupo privado de ensino superior do País em receita e número de matrículas, conforme levantamento de 2017 da Consultoria Hoper Educação. Em 2009, o nome da Faculdade Metropolitana foi alterado para Faculdade Pitágoras de Londrina.

O último recredenciamento da Pitágoras no MEC foi publicado no início deste ano e a faculdade foi avaliada com Conceito Institucional (CI) 4 – o indicador varia de 1 a 5, em uma escala em que 5 é a nota máxima. “Atualmente oferecemos 19 cursos presenciais de graduação, além de cursos semipresenciais e 100% online. Também ofertamos pós-graduações. Temos 5,3 mil alunos, cerca de 5 mil deles nos cursos presenciais”, afirma a diretora-geral da Faculdade Pitágoras, Flávia Pelissari Pomin Frutos. Segundo ela, a instituição é referência regional nos cursos de Engenharia, ofertados em seis áreas: Ambiental, Civil, da Computação, de Produção, Mecânica e Elétrica.

Serviços à comunidade

Para Flávia, a homenagem à Pitágoras reflete o sério trabalho da faculdade na formação dos alunos e a atuação da instituição no atendimento às demandas da cidade, por meio da prestação de serviços à comunidade, de parcerias com organizações privadas, governamentais e não governamentais e de cursos de extensão. Só a Clínica de Psicologia da Pitágoras, segundo a diretora, realiza cerca de 500 atendimentos gratuitos por mês à população.

Já o Núcleo de Prática Jurídica foi premiado pelo Observatório de Gestão Pública de Londrina pelos serviços gratuitos que presta à comunidade carente, a partir de convênio com a Companhia de Habitação de Londrina (Cohab-Ld), na regularização de inventários e documentos relacionados a questões habitacionais. “Os estudantes de Direito ajudam a regularizar a situação de famílias com dificuldades de acesso a seus imóveis. Há casos, por exemplo, em que morre algum familiar e isso acaba atrapalhando o processo na Cohab”, diz Flávia.

Na justificativa do projeto de lei, o vereador Felipe Prochet afirma que o Grupo Kroton, do qual a Pitágoras faz parte, é a maior e mais sólida organização de ensino privado do Brasil, com mais de 45 anos de história. Entre as marcas pertencentes ao grupo estão Unopar, Anhangera, Unic, Unime e Fama. Segundo o projeto de lei que prevê a entrega da Medalha Ouro Verde à Faculdade Pitágoras, o objetivo da instituição é oferecer educação superior com qualidade a um custo acessível para um grande número de alunos e melhorar a vida das pessoas por meio do ensino responsável, o que, segundo Prochet, justifica a honraria.

Asimp/CML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios