Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

O andamento das obras do programa Escola 1.000 foi tema de uma reunião na terça-feira (15) entre o chefe da Casa Civil, Valdir Rossoni; o diretor-presidente do Instituto Fundepar, Victor Hugo Dantas; o procurador-geral do Estado, Paulo Sérgio Rosso e os secretários de Infraestrutura e Logística, José Richa Filho e de Assuntos estratégicos, Edgar Bueno.


O Escola 1.000 repassa R$ 100 mil para reformas e readequações diretamente na conta das escolas estaduais. E cabe à direção, pais, professores e funcionários decidir quais intervenções são prioritárias e também fiscalizar a qualidade da obra.

Durante o encontro, foi apresentado um balanço das obras em andamento e o cronograma de obras a iniciar. Rossoni explicou que o governo quer acelerar o programa porque pretende recuperar todas as 2,1 mil escolas estaduais. “O Escola 1.000 é um projeto-piloto desenvolvido pela Casa Civil a pedido do governador Beto Richa. Estamos acertando detalhes e acabando com entraves burocráticos para que ele possa deslanchar”, disse. "A expectiva é completar as obras até o fim do ano para colocar em prática uma nova etapa do programa que será a extensão do Escola 1000."

O secretário também informou que atualmente há dois outros projetos em execução especialmente para atender as escolas. É o Reparo Rápido, que faz pequenas reformas em curto tempo, e o Mãos Amigas, que utiliza mão de obra de apenado do regime semi-aberto para serviços como pintura, instalação elétrica. “A ideia é ressocializá-los e diminuir as penas. E a cada três dias trabalhados, eles têm um dia de redução”, explicou.

Fotos: Kleyton Presidente

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios