Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.
Assembleia Legislativa do Estado do Paraná

Aulas terminaram na sexta-feira (18). Desafios, aprendizados e novas metodologias de ensino marcam a Educação em tempos de pandemia de Covid-19

As aulas para os 5.865 alunos matriculados na Educação Infantil, Ensino Fundamental – anos iniciais e Educação de Jovens e Adultos (EJA) da Rede Municipal de Ensino encerraram-se na sexta-feira (18).

Segundo a instrução normativa 006/2020, de 22 de dezembro de 2020 a 08 de janeiro de 2021, será considerado como recesso para todo o quadro da Rede Municipal de Ensino e os 15 dias de férias restantes, correspondentes ao trabalho desempenhado no ano de 2020, ficam previstos para o período de 11 a 25 de janeiro de 2021.

Conforme a Secretaria Municipal de Educação (SME), em função da troca de gestão municipal e das indefinições quanto aos rumos da pandemia de Covid-19, a SME optou por não estabelecer o calendário escolar de 2021 e nem fazer a distribuição das aulas.

Transferência

Conforme a Instrução Normativa 07/2020, inicialmente, a SME acolherá os requerimentos de transferência nos dias 1 a 5 de fevereiro de 2021 apenas para os alunos oriundos de outras redes de ensino (outros municípios/países ou escolas particulares).

Para os requerimentos de transferência de alunos já matriculados em 2020 na rede municipal, será obedecida a seguinte organização:

a)    Dia 08/02/2021 para solicitações de transferência de alunos matriculados no 1º ano;

b)    Dia 09/02/2021 para solicitações de transferência de alunos matriculados no 2º ano;

c)    Dia 10/02/2021 para solicitações de transferência de alunos matriculados no 3º ano;

d)    Dia 11/02/2021 para solicitações de transferência de alunos matriculados no 4º ano;

e)    Dia 12/02/2021 para solicitações de transferência de alunos matriculados no 5º ano

Segundo a instrução, caso o pedido de transferência seja deferido, a SME comunicará a instituição, que por sua vez entrará em contato com o responsável pelo aluno sobre a possibilidade da matrícula.

Já caso o pedido de transferência seja indeferido, a SME comunicará o responsável informando o motivo.

Pandemia e novas formas de ensinar

Em um ano atípico, em que muitas coisas mudaram em função da pandemia da Covid-19, a educação também precisou se reinventar. Com as aulas presenciais suspensas para se evitar novos contágios pelo novo coronavírus, as escolas tiveram que buscar saídas emergenciais para continuar as atividades. Principalmente com o auxílio de suportes remotos de ensino e a introdução de novas metodologias, apoiadas em tecnologias digitais.

Visando minimizar o impacto causado pela pandemia, a SME iniciou em maio a aplicação de atividades remotas para todos os alunos. A cada 15 dias, os pais ou responsáveis retiravam nas instituições de ensino os kits preparados pelos educadores e professores com materiais básicos necessários para o desenvolvimento das tarefas. Os conteúdos aplicados nos materiais tiveram como objetivo principal manter o vínculo do aluno com o conteúdo científico formal trabalhado em sala de aula.

A metodologia de ensino a distância foi incrementada com a gravação de videoaulas com conteúdos não contemplados pelo “Aula Paraná”, do Governo Estadual. As videoaulas foram disponibilizadas via internet, na página oficial da Secretaria Municipal de Educação - https://www.ibipora.pr.gov.br/educacao. A maioria dos professores que se dispôs a gravar as videoaulas enfrentou pela primeira vez os desafios de lecionar olhando para uma câmera. “Foi uma experiência única. Tivemos que aprender sobre roteiro, figurino, luz, cenário, expressão corporal, dicção. Mas contamos com muito apoio da assessoria pedagógica da SME, dos servidores da Secretaria de Cultura e Turismo, os quais gravaram e editaram as videoaulas, e dos próprios professores”, comenta a educadora do Pré II do Complexo Educacional Pref. Alberto Spiaci, Débora Rodrigues.

Os professores enfatizaram que a parceira da escola com a família foi muito importante para que se criasse uma rotina de estudos em casa e mantivesse as crianças engajadas na realização das atividades remotas. “De maneira geral, as famílias superaram as dificuldades e se envolveram, aprenderam junto com as crianças, e passarm, a respeitar o espaço e horário de estudos delas. Como os pais passaram a se envolver mais no processo de aprendizagem, o nosso trabalho também começou a ser mais valorizado, reconhecido”, analisa professor de Artes Ryan Hafyd de Carvalho.

O prefeito João Coloniezi destaca que após tantos desafios, o atípico ano letivo de 2020 encerra-se com resultados positivos na Rede Municipal de Ensino. “A maioria dos alunos conseguiu ser aprovada. Tivemos casos pontuais de pais de crianças que não retiraram os blocos de atividades remotas, ou de estudantes que entregaram as atividades em branco, tendo que ser reprovados por falta. O suporte aos pais ou responsáveis foi disponibilizado por meio de aplicativo de transmissão de mensagens instantâneas WhatsApp Business e também em atendimentos presenciais pré-agendados. Em casos mais sérios, os professores chegaram a ir até à residência do aluno para saber o que estava acontecendo. À comunidade escolar, toda a minha gratidão e respeito pela dedicação e profissionalismo”, conclui o prefeito.

 “Este ano está sendo desafiador sob todos os aspectos. Em tempos de pandemia foi necessário rever, repensar e reorganizar os caminhos. Para isso contamos com a colaboração e o trabalho de todos. Tivemos muito zelo, cuidado e comprometimento com as atividades não presenciais. Agradeço e parabenizo a todos. Estamos felizes em poder ver nossos alunos indo dar continuidade à vida escolar em 2021”, comenta a secretária de Educação Margareth Coloniezi.

Caroline Vicentini/NCPMI

Clique nas fotos para ampliar

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios