Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.
Assembleia Legislativa do Estado do Paraná

Projeto da Educação, que visa atender alunos e famílias em situação de vulnerabilidade, já realizou 11.600 atendimentos

A Secretaria Municipal de Educação (SME), por meio da Gerência Educacional de Apoio Especializado e da Coordenação de Mediação e Ação Intersetorial (COMAI), continua prestando o atendimento às crianças e famílias em situação de vulnerabilidade social, especialmente neste período de pandemia do novo coronavírus, através do Projeto Professor Mediador e Facilitador Escolar e Comunitário. O trabalho foi reconhecido e elogiado pelas famílias. Ao todo, os professores mediadores já realizaram 11.600 atendimentos.

Atualmente, o projeto conta com 25 professores mediadores que trabalham em dupla e atendem as cinco regiões (distrito, norte, sul, centro/leste e oeste). A ação tem como objetivo atender  questões de abandono e evasão escolar, fazer a busca ativa desses alunos, o acompanhamento e, também, prestar suporte quanto às situações de violências que podem ocorrer com as crianças e familiares. Desde a suspensão das atividades presenciais nas unidades escolares por conta da pandemia da Covid-19, o trabalho dos professores mediadores tem sido prioritário em relação à entrega dos kits didáticos e cestas básicas.

 “Nesse período de pandemia, o trabalho prioritário tem sido fazer chegar o kit didático para aquelas famílias que têm dificuldades de ir à escola para buscar o material. Assim, a equipe de mediação leva o kit até essas famílias e ajuda, também, com a entrega da cesta básica para as famílias que estão em situação de dificuldades financeiras”, explicou a gerente educacional de Apoio Especializado, Cristiane Sola.

A gerente educacional destacou ainda que devido a muitas famílias vivenciarem múltiplas realidades, os professores mediadores buscam identificar quais são as necessidades de cada contexto familiar. “As famílias, em alguns casos, precisam do atendimento de outras redes de serviços, como da Assistência Social, Conselho Tutelar, de Saúde e outros. Então, se for necessário, a equipe de mediação também realiza essa articulação entre esses serviços para que as famílias sejam atendidas em todas as suas necessidades”, afirmou.

Reconhecimento

Todo esse trabalho tem ganhado o reconhecimento e a valorização das famílias que são amparadas pelo projeto, desde a entrega dos kits didáticos, das cestas básicas, até o suporte de outras redes de serviço, como, por exemplo, o Centro de Atendimento à Mulher (CAM) e outros.

Kelly Silva dos Santos, moradora do Jardim Nova Esperança e mãe de duas crianças matriculadas na rede municipal, elogiou o trabalho realizado pelas professoras mediadoras. “O trabalho delas tem sido essencial e eu sou muito grata. Elas apoiaram e ajudaram minha família no período que eu tive AVC e continuam ajudando. As professoras são excelentes pessoas e eu só tenho o que agradecer a elas e a escola por estarem me apoiando nesse momento mais difícil da minha vida”, contou.

A gerente educacional de Apoio Especializado da SME, Cristiane Sola, frisou que esse retorno das famílias é muito importante, além de ser gratificante ver que para algumas famílias as visitas da equipe de mediação têm sido fundamentais. “Ficamos muito contentes quando recebemos o retorno positivo das famílias e das escolas. Tem sido uma ajuda muito grande para os gestores escolares ter o mediador para fazer essa busca ativa do aluno, de conectar ele com o estudo remoto, para que assim, ele não desista do ensino e possa concluir suas atividades”, destacou.

Luana Souza sob supervisão dos jornalistas do N.Com

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios