Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Ainda não há expectativa para o retorno das atividades presenciais, mas intenção é criar um plano com a colaboração de todos os atores da área

Ontem (18), a secretária municipal de Educação, Maria Tereza de Moraes e a assessora pedagógica da pasta, Mariângela Bianchini, reuniram-se com os educadores durante prática pedagógica. O encontro foi realizado de forma on-line e está salvo na página do Facebook da Educação (acesse aqui).

O objetivo foi conversar com os diretores, coordenadores, supervisores, professores e representantes das unidades escolares e filantrópicas sobre o atual período de pandemia gerado pelo coronavírus. A secretária de Educação deixou claro, por diversas vezes, que ainda não há uma previsão para a retomada das aulas presenciais, visto que, elas estão suspensas até, no mínimo, dia 31 de julho.

Plano de Retomada – Aproveitando a oportunidade, Moraes ressaltou que a Secretaria de Educação está trabalhando na elaboração de um Plano de Retomada das Atividades, de forma coletiva. Para isso, tem encaminhado diversos formulários aos representantes das unidades escolares municipais e filantrópicas e para os pais dos alunos.

Na próxima semana, novos questionários devem ser enviados aos responsáveis pelas crianças. “Nós só voltaremos às aulas presenciais se tivermos segurança para isso e quando a saúde, em especial, o COESP, nos autorizar. Estamos ouvindo e lendo todas as notas técnicas sobre o que fazer no retorno escolar. Nós estamos olhando tudo o que está acontecendo”, explicou Moraes.

Além disso, a Secretaria de Educação está considerando as orientações elaboradas por organismos como a ONU e UNICEF, e por órgãos como a Defensoria Pública, Ministério Público do Estado, Conselhos Municipais e Estaduais de Educação e de outras secretarias como a de Assistência Social.

O Plano de Retomada levará em consideração diversas ações e iniciativas que as escolas e centros de educação infantil deverão tomar. Entre as medidas estão a criação de protocolo de higiene contendo a desinfecção constante de banheiros, áreas de circulação comuns e das mesas e carteiras dos alunos, e medidas de segurança alimentar.

Outro ponto é a aquisição de termômetros infravermelhos para aferição da temperatura dos funcionários e alunos; de protetores faciais e equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para os professores e máscaras para as crianças, assim como de tapetes para desinfecção dos pés e de materiais escolares individuais como lápis, borracha e cadernos para os alunos.

Isto porque, os alunos não deverão levar mochilas para as salas de aulas e os materiais escolares cedidos pelo Município permanecerão na unidade de ensino. Tudo será debatido dentro da realidade de cada unidade educacional. Para isso estão sendo montadas comissões, com um professor por turma em todas as regiões de Londrina.

Formação Pedagógica

Outro tópico estudado é quanto à formação continuada de cerca de 5 mil profissionais. Uma comissão específica para isso foi montada na SME e outras subcomissões contendo diretor, coordenador, professores e pais dos estudantes também serão instituídas nos próximos dias.  No início de julho serão realizados dois módulos de formação, que já estão prontos. O primeiro durará 15 dias e tratará a respeito da Saúde Mental em tempos de Pandemia. Para isso, contará com a ajuda de um profissional de psicologia. Outro será sobre os Objetivos Essenciais, que estão na página da Educação, na internet. (clique aqui para ler).

“A gente não tem as respostas prontas. Estamos tentando aprender com tudo isso e achar soluções, pensando principalmente na garantia da saúde e na vida de cada um. Não queremos massacrar as crianças com conteúdo ou cobrar dos pais o excesso de trabalho com a criança. Queremos achar uma possibilidade dentro desse panorama que estamos vivendo”, explicou a assessora pedagógica da Secretaria.

Dicas

 Durante a apresentação, Moraes lembrou que, na próxima semana, deve ser votada a Medida Provisória 934 (MP), de 1º de abril de 2020. Ela estabelece as normas excepcionais do ano letivo para a educação básica e ensino superior durante a pandemia, como a dispensa, em caráter excepcional, da obrigatoriedade de observância ao mínimo de dias de efetivo trabalho escolar.

Além disso, na próxima terça-feira (23), às 10 horas, será transmitida uma Live no Youtube com o professor doutor David Rodrigues. Ele é doutor pela Universidade Técnica de Lisboa (FMH) com uma tese sobre crianças com paralisia cerebral, conferencista em iniciativas da UNESCO de Portugal. Ele conversará com a secretária de educação e com a professora e doutoranda em Educação pela Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias de Lisboa (2018), Danielle Nunes Martins do Prado.  O tema aborda o que os educadores podem aprender em tempos de pandemia.

NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios