Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Resultado foi possível graças à união de esforços entre os estudantes e seus pais, professores, e as equipes pedagógica e gestora das escolas municipais de Londrina Amanda Lane das Mercês, da Escola Escola Municipal Bartolomeu de Gusmão.

Cento e dez alunos da rede municipal de ensino de Londrina foram premiados na Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA), Mostra Brasileira de Foguetes (MOBFOG), Olimpíada Brasileira de Robótica (OBR) e Olimpíada Internacional de Matemática e Conhecimento (OIMC). A premiação está acontecendo em 2021 e é relativa às participações em 2020. O desempenho dos alunos reflete o engajamento dos professores e de toda a equipe pedagógica e gestora da rede municipal de educação, que vem apresentando resultados notórios nos últimos anos.

A secretária de Educação, Maria Tereza Paschoal de Moraes, parabenizou os alunos premiados. Segundo ela, a história demonstra que grandes personalidades -que se destacaram tanto na política, quanto na ciência – ganharam medalhas e participaram de premiações quando ainda eram crianças. “Isso é super importante porque despertamos cientistas e pessoas que vão transformar a realidade do nosso país. Tenho muito orgulho do trabalho feito nas escolas. Com certeza, estes alunos são destaques e terão muito sucesso em um futuro próximo”, enfatizou.

A Escola Municipal da Vila Brasil foi a que mais contabilizou prêmios. Ao todo, 31 estudantes da unidade escolar receberam premiações na Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica. O evento nacional visa difundir o conhecimento astronômico na sociedade e fomentar o interesse dos jovens pela astronomia, astronáutica e ciências afins. Foram 12 medalhas de ouro, nove medalhas de prata e dez com medalhas de bronze recebidas pela escola.

A diretora Rosângela de Fátima Riedo Ferreira acredita que o engajamento dos profissionais da escola fez a diferença, para que os alunos apresentassem um excelente desempenho, assim como o incentivo dos familiares dos estudantes.

Para ela, é importante incentivar os alunos em desafios na área da astronomia, para que eles possam ter outras visões, além da escola, principalmente em momentos como o da pandemia da Covid-19, que levou ao isolamento social. “Olimpíadas representam uma oportunidade para estimular os alunos. A astronomia é um tema que aguça a curiosidade deles, por isso, todos os anos, buscamos participar da OBA. Acredito muito neste projeto e nossos professores abraçaram a causa”, destacou Ferreira.

O aluno Otávio Augusto Gomes, de 9 anos e estudante do 4º ano da Escola Municipal da Vila Brasil, foi premiado com medalha de ouro na OBA. Ele disse estar feliz e surpreso com a premiação, pois foi a primeira vez que participou da Olimpíada. “A participação na OBA me permitiu ter mais conhecimento sobre astronomia e o espaço. É um tema que sempre gostei, que despertou meu interesse e me sinto muito feliz em ter participado e ganhado a medalha de ouro”, frisou.

A professora dos alunos com altas habilidades, da rede municipal, Fabiane Chueire, é uma incentivadora da participação dos estudantes em iniciativas assim. Atualmente, ela atende 32 alunos de diversas escolas municipais, que pertencem a esse grupo. O trabalho iniciou há quatro anos, na gestão do prefeito Marcelo Belinati, com foco em atender as necessidades de crianças com potencial latente e estimular o pensamento criativo, fortalecer a área de talento e propor novos desafios para os mesmos.

Ao todo, 23 alunos de Chueire foram premiados. Na Mostra Brasileira de Foguetes (MOBFOG), por exemplo, os estudantes desenvolveram seus próprios foguetes, com ajuda de seus familiares. Eles utilizaram materiais como: garrafa PET, cartolina, canudinhos, fita crepe, cola e papel alumínio. Na Olimpíada Internacional de Matemática e Conhecimento, participaram duas equipes, com oito alunos em cada. Uma delas ganhou a medalha de ouro e o Prêmio Diamante, que é o máximo da categoria. O outro grupo recebeu a medalha de bronze.

“O trabalho com a criança que possui altas habilidades é muito importante, para que ela se desenvolva em sua integralidade. Em Londrina, a rede municipal tem o cuidado com esses alunos e um olhar mais atento e próximo, para que eles possam se desenvolver cada vez mais. Assim, as crianças participam de diversos desafios, entre eles das olimpíadas, e o resultado é surpreendente”, afirmou a professora de altas habilidades.

Chueire destacou, ainda, que a conquista foi possível devido à união de esforços, entre as crianças, professores, pais e responsáveis pelos alunos e gestores da educação, que foram os grandes incentivadores e auxiliadores das crianças.

Encontro – Para parabenizar os alunos pelo ótimo desempenho e conversar sobre o assunto, a secretária Maria Tereza Paschoal de Moraes irá fazer um encontro virtual com os estudantes, nesta quinta-feira (29), às 14 horas, pela plataforma Google Meet. Durante a ação, será mencionado o nome dos 110 premiados.

O encontro vai contar com a participação especial do biólogo e pesquisador da National Aeronautics and Space Administration (NASA), Ivan Gláucio Paulino Lima. Ele é cientista do Instituto Blue Marble no Centro Ames de Pesquisas da NASA, cursou doutorado na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e graduação e mestrado na Universidade Estadual de Londrina (UEL). Lima pesquisa microrganismos resistentes à radiação e como essa capacidade pode ajudar na exploração espacial. 

NCPML

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios