Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Termo foi assinado também por representantes de instituições de ensino superior e cursos de ensino técnico

O prefeito Alexandre Kireeff e o secretário municipal de Saúde, Gilberto Martin, assinaram, nesta quinta-feira (10), o termo de adesão ao Programa de Integração Ensino-Serviço e Comunidade (PROIESC), primeiro passo para celebração do Contrato Organizativo de Ação Pública Ensino-Saúde (COAPES), instituído pelo Ministério da Saúde. O objetivo é fortalecer a integração entre ensino, serviços e comunidade no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), para uma melhor organização dos estágios realizados na rede municipal de saúde de Londrina.

O termo também foi assinado por representantes de instituições de ensino superior (UEL, Unifil, Unopar, Pitágoras e PUC), e cursos de ensino técnico-especializado (Albino Feijó; Senac; Centro de Educação Profissional Mater Ter Admirabilis, Colégio de Aplicação Pedagógica da UEL Professor José Aloísio Aragão e Instituto Federal do Paraná) que têm parceria com a rede municipal de saúde de Londrina na realização de estágios. As instituições Inesul e Senac também participam dos estágios na rede. Também assinaram o documento, o presidente do Conselho Municipal de Saúde, Eliel Joaquim dos Santos, e a diretora da 17ª Regional de Saúde, Teresinha de Fátima Sanches.

Durante o encontro foi instituído o Comitê Gestor do PROIESC/COAPES, para dar os encaminhamentos necessários à formalização do contrato, que será enviado para Secretaria de Saúde do Estado do Paraná (SESA) e ao Ministério da Saúde (MS), que supervisionará as ações. Com isso, Londrina será uma das primeiras cidades do país a assinar o COAPES e deverá ser a primeira do Paraná.

Para Kireeff, a aproximação da área acadêmica com o serviço municipal de saúde traz benefícios importantes. “O primeiro é a possibilidade de que os acadêmicos tenham a sua formação aprimorada pela interface com o cotidiano do sistema público de saúde. Por outro lado, o sistema de saúde recebe a participação deste recurso humano muito qualificado”, disse. Outro aspecto, segundo o prefeito, é a possibilidade de despertar vocações nestes futuros profissionais. “Isto é fundamental para que eles se envolvam com a saúde pública, através deste ambiente de prestação de serviço de saúde em favor da população”, disse.

O secretário Martin destacou que, com mais este passo, será possível formalizar e organizar o espaço de atuação de alunos, dentro da rede municipal de saúde, contribuindo para a formação dos alunos dentro da ótica do SUS. “Além disso, nós ampliamos a presença de profissionais e a capacidade de oferta de serviços, ao mesmo tempo em que trazemos o conhecimento da academia para dentro dos serviços. Nossa expectativa, com isso, é qualificar ainda mais o serviço que prestamos”, disse.

Cursos para os servidores - Todos os anos cerca de 6 mil estudantes de diversas áreas da saúde fazem estágio na rede municipal de saúde de Londrina, composta pelas Unidades Básicas de Saúde (UBSs), Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), Maternidade Municipal, Pronto Atendimento 24 horas, Pronto Atendimento Infantil (PAI) e Adulto, Pronto Atendimento 12 horas, Centro de Especialidades Odontológicas (CEO), Policlínica, Pronto Atendimento do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS III), CAPS Infantil e CAPS-AD (álcool e drogas), equipes do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF), Centrolab, Centrofarma, Serviço de Atendimento Móvel de Urgência e Emergência (Samu), Vigilância em Saúde e serviço de Atenção Domiciliar.

A médica e assessora da Secretaria Municipal de Saúde, Vânia Brum, explicou que o COAPES será importante para organizar o fluxo dos estágios, por exemplo, na organização da supervisão e atendimento aos estagiários. Também será estabelecido um tempo mínimo para que as instituições solicitem o estágio ao Município, para que a Secretaria Municipal de Saúde possa planejar a distribuição dos estudantes, de acordo com a estrutura física dos locais.  “Além disso, as instituições passarão a dar uma contrapartida para os serviços, como a oferta de cursos para os servidores municipais”, disse.

COAPES – O Contrato Organizativo de Ação Pública Ensino-Saúde reúne regras, contrapartidas, diretrizes organizativas e demais compromissos pactuados entre as instituições de ensino e os gestores municipais e estaduais do SUS. Seu objetivo é garantir o acesso a todos os estabelecimentos de saúde sob a responsabilidade do gestor da área de saúde como cenário de práticas para a formação no âmbito da graduação e da residência em saúde, além de estabelecer atribuições das partes relacionadas ao funcionamento da integração ensino-serviço-comunidade.

N.com

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios