Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Nesta quinta-feira (17), às 19 horas, a Secretaria Municipal de Educação realizará a palestra “Diálogos e perspectivas sobre as práticas de linguagem oral e escrita na educação infantil e no ensino fundamental”, como atividade de encerramento solene das atividades do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (PNAIC). Essa palestra é destinada aos professores cursistas do PNAIC que estão cadastrados no SIMEC. A ação será no auditório do Colégio Adventista, situado à Avenida Universo, 184, no Jardim Shangri-Lá A.

Os palestrantes serão os professores da educação infantil Valdir de Oliveira, Fabiana Dias Salvador e a coordenadora do PNAIC em Londrina, Rafaeli Constantino V. Peres.  O público-alvo são os professores cursistas cadastrados no pacto, por isso, a expectativa é que aproximadamente 600  pessoas façam parte da atividade.  

O Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa foi um compromisso formal assumido pelos governos federal, do Distrito Federal, dos estados e municípios. A intenção era que os alunos estivessem alfabetizados até o 3º ano, ou seja, até os 8 anos, idade considerada a certa para a alfabetização.

Para isso, através do Pacto, desde 2013 até o momento, os professores da rede municipal passaram por capacitações de no mínimo 120 horas,  ministradas por docentes da Universidade Estadual de Maringá (UEM) e pelas formadoras locais, professoras do município. Nelas, os educadores receberam materiais de ensino, com caderno de estudos próprios e outros para a aplicação em sala de aula. Assim, eles puderam aperfeiçoar a metodologia de ensino no ciclo de alfabetização das crianças.

De acordo com a coordenadora do PNAIC Londrina, o programa deu certo no Município, visto que foi possível alfabetizar cerca de 95% das crianças até o 3º ano, demonstrando que os resultados se refletiram diretamente na aprendizagem do aluno. “Sem o compromisso das 43 formadoras do Pacto, a eficiência dele não existiria. Isso porque o intuito foi possibilitar a formação continuada aos professores, criando-se em Londrina a cultura do professor alfabetizador. Assim, aqueles que passaram pelo pacto tiveram preferência para lecionar no clico de alfabetização”, explicou Rafaeli.

O PNAIC é um programa realizado nacionalmente, sendo que, no Paraná, a cidade de Londrina foi uma das com maior número de professores participantes. Desde sua implantação foram realizados diversos ciclos de capacitações. O primeiro deles, desenvolvido em 2013, contou com o aperfeiçoamento específico para o ensino da língua portuguesa. Em 2014, os professores continuaram aprendendo mais sobre o ensino e a alfabetização em português e foi acrescentado o ensino de matemática. Em 2015, acrescentaram-se novos conhecimentos e o trabalho com a diversidade, com formadoras de outras áreas como geografia e história.

Já em 2016, retomaram-se os estudos da língua portuguesa integrada com a matemática. Por fim, no último ciclo, que foi de 2017 até o momento, os 1.064 professores da educação  infantil e fundamental trabalharam também a oralidade, a leitura e a escrita como fato que permeia a vida social e não apenas a aprendizagem em sala de aula. As ações foram presenciais e semipresenciais, com materiais impressos e digitais.

Durante todos esses anos de capacitações, os professores receberam materiais didáticos concedidos pelo Ministério da Educação (MEC), para melhorarem seus conhecimentos e técnicas de ensino. Por ano, mais de 750 professores participaram do pacto. Neste último ciclo do PNAIC, houve um aumento exponencial dos participantes, pois o mesmo foi aberto aos docentes da educação infantil e do Programa Novo Mais Educação.  Todos também puderam trocar experiências com professores de outros municípios.

O encerramento oficial do PNAIC acontece no dia 30 de maio. Em junho, iniciarão as atividades do Programa Mais Alfabetização, suja intenção é ter assistentes em sala de aula ajudando os professores das unidades escolares durante as atividades de ensino à leitura, escrita e matemática, de crianças dos 1º e 2º anos do ensino fundamental.

No Brasil, a educação básica é uma atribuição dos municípios e estados, mas cabe à esfera federal integrar as políticas públicas e estratégias e redistribuir os recursos financeiros.
 

N.Com

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios