Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Dois professores do Departamento de Ciência da Computação, do Centro de Ciências Exatas da Universidade Estadual de Londrina (CCE), são semifinalistas do Prêmio de Pesquisa em Segurança Cibernética, iniciativa internacional que reúne Universidades e empresas dos Emirados Árabes para reconhecer pesquisas relacionadas à segurança cibernética, cidades inteligentes e inteligência artificial.

Os pesquisadores Sylvio Barbon Junior e Bruno Bogaz Zarpelão embarcam no dia 14 para Abu Dhabi para fazer uma apresentação oral, que representa a segunda etapa do processo de seleção. O resultado final deverá ser apresentado em maio do próximo ano e vai resultar em um investimento de U$S 1,5 milhão no projeto selecionado.

Os pesquisadores não escondem a surpresa com o resultado da seleção. Para esta segunda etapa foram selecionadas apenas 15 ideias inovadoras em todo o mundo, entre elas a desenvolvida no Laboratório Remid, do Departamento de Ciência da Computação da UEL, para implementar cibersegurança ao projeto de Eficiência Energética que envolve uma Usina Fotovoltaica, um Biodigestor e 40 sensores acoplados aos transformadores de energia espalhados pelo Câmpus. O projeto dos pesquisadores foi amparado na experiência do uso dos sensores inteligentes, que coletam informações para avaliação e monitoramento da rede elétrica interna.

Segundo os professores, estes dados que trafegam são informações importantes para medir a "saúde" da rede, buscando alternativas para gerir problemas, como quedas e adulterações no consumo de energia.

O projeto enviado aos avaliadores do prêmio demonstra a localização dos sensores, define exatamente o problema e aponta possíveis soluções amparadas em inteligência artificial, cyber segurança e segurança energética, que é exatamente a temática do prêmio.

Caso a proposta da UEL for selecionada nesta segunda etapa, os autores deverão ampliar o projeto, apresentando outro mais completo, com cronograma de atividades e inclusive orçamentos.

Eles explicam que o valor total do prêmio, que deverá ultrapassar R$ 6 milhões, deverá ser utilizado para equipar laboratórios, pagar bolsistas e estagiários e para a aquisição de equipamentos que serviriam à graduação e ao Programa de Pós-graduação em Ciência da Computação.

"Esta seleção demonstra que o curso tem capacidade para formar recursos humanos com capacidade internacional", afirma o professor Sylvio Bardon, acrescentando que diversos alunos foram selecionados nos últimos anos em programas de pós-graduação em Universidades da Europa, por exemplo. Ainda de acordo com o professor, esta visão internacional corresponde à uma característica intrínseca da Ciência da Computação, que precisa se atentar às exigências internacionais, com foco em necessidades da indústria e do mercado mundial.

PREMIAÇÃO

O prêmio de Pesquisa em Segurança Cibernética é uma iniciativa liderada pela multinacional especializada em soluções cibernéticas, DarkMatter, com a Universidade Khalifa como seu parceiro estratégico.

Também integram a iniciativa, o Dubai Electronic Security Center, a Fundação do Conhecimento Mohammed Bin Rashid Al Maktoum, Universidade de Sharjah, Politécnica de Abu Dhabi e NYU Abu Dhabi.

O fundo de premiação no total de US$ 1,5 milhão será distribuído por um período de três anos (não superior a US$ 500 mil por ano).

AEN

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios