Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

Renato Feder participou da sessão de ontem (27) e falou aos deputados sobre as soluções do governo para garantir o ensino durante a pandemia.

O secretário da Educação e do Esporte do Paraná, Renato Feder, esclareceu ontem (27), durante a sessão ordinária da Assembleia Legislativa do Paraná, as medidas adotadas pelo governo estadual para dar continuidade ao ano letivo durante a crise causada pelo novo coronavírus. O secretário também respondeu a questionamentos dos parlamentares sobre as soluções encontradas pela pasta para garantir a educação de mais de um milhão de estudantes matriculados na rede pública. De acordo com Feder, mais de 90% dos alunos têm acesso a uma das ferramentas implantadas pelo Governo para a continuidade das aulas.

Com o calendário presencial suspenso desde março, Feder explicou que o Governo adotou a modalidade de Ensino a Distância como forma de não interromper o ano letivo. Com a nova metodologia, os alunos têm acesso ao conteúdo por meio da tecnologia. "Buscamos uma solução com alto alcance, mantendo a qualidade acadêmica. Por isso, estamos usando a televisão e o telefone celular para atingir aos alunos", explicou.   

Além de aulas transmitidas pela internet e por um canal aberto de televisão, foi desenvolvido o aplicativo Aula Paraná, ferramenta em que alunos podem acompanhar a produção de conteúdo dos professores. O aplicativo é uma alternativa às aulas presenciais durante a pandemia causada pelo novo coronavírus. Na ferramenta, além de assistir ao conteúdo, os alunos podem interagir com colegas e professores em tempo real, como em uma “sala de aula virtual”.

Nas primeiras semanas de uso, no entanto, o aplicativo gerou críticas de pais, alunos e professores, o que rendeu questionamento dos deputados estaduais. Um dos pontos indagados é de que o aplicativo permitiria a captura de dados dos alunos. O secretário esclareceu que o Aula Paraná não tem acesso a este tipo de conteúdo. Ele afirmou ainda que outras medidas já foram tomadas para contornar os contratempos. "No início, as ferramentas deram problemas, agora já estão mais robustas. A adesão dos alunos está crescendo", disse.

Feder apresentou dados sobre a abrangência das medidas. Segundo ele, o aplicativo Aula Paraná já teve mais de 760 mil downloads, com 547 mil alunos acessando o conteúdo no YouTube apenas na semana passada. Foram 9,2 milhões de visualizações das aulas, com mais de 250 mil inscritos no canal do Aula Paraná no site.  "Os alunos que não têm acesso à televisão e ao celular podem retirar o material impresso nas escolas. O material é entregue junto com a merenda escolar", explicou o secretário.

De acordo com a Secretaria de Educação, as soluções visam garantir que os mais de um milhão de alunos da rede estadual tenham o processo de ensino e aprendizagem mantido durante a crise do coronavírus no País. Ainda segundo a pasta, as escolas serão reabertas somente quando a situação for considerada segura pelas autoridades sanitárias.

Merenda

Durante os questionamentos, o secretário disse ainda que o Governo do Estado estuda a distribuição de kits da merenda escolar para todas as famílias de alunos carentes durante a pandemia pelo coronavírus, independente delas estarem cadastradas no Programa Bolsa-Família.

Asimp/Alep

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios