Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

É o terceiro Plano de Contingenciamento lançado pela Universidade Estadual de Londrina. Retorno das aulas presenciais está marcado para 24 de janeiro. Documento traz orientações a respeito do fluxo a ser seguido por professores, servidores e estudantes.

3ª Edição do Plano de Contingenciamento: Orientações de Segurança Sanitária para o Enfrentamento da Covid-19 acaba de ser lançada, após meses de trabalho do Grupo de Trabalho Coronavírus (Covid-19). Formado por representantes da área da Saúde de várias instâncias da universidade, o grupo atualizou as informações e orientações contidas na 2ª edição do Plano, divulgada em outubro para o retorno seguro da comunidade universitária às atividades presenciais. Desta vez, o foco principal é a volta às aulas presenciais, marcada para 24 de janeiro.

O documento traz orientações a respeito do fluxo a ser seguido por professores, servidores e estudantes para fornecer informações ao Serviço de Vigilância Covid-19, estruturado pela universidade para gerenciar os casos suspeitos e ativos da doença. Por meio de formulários, que podem ser acessados nos portais, todos poderão notificar o Serviço de Vigilância caso estejam com sintomas ou tenham entrado em contato com alguém que testou positivo ou apresente sintomas.

Assim como as outras duas edições, o plano também traz as orientações básicas para redução do contágio, como uso de máscaras e higienização das mãos com água e sabão e álcool em gel.

De acordo com o vice-reitor e integrante do Grupo de Trabalho Coronavírus, Décio Sabbatini, a principal novidade do novo Plano de Contingenciamento tem relação com os estudantes. “Desenvolvemos um fluxo com orientações para os estudantes, que serão monitorados pela Universidade, em conjunto com os órgãos municipais responsáveis”, comentou.

Os estudantes poderão notificar o Serviço de Vigilância Covid-19 por meio do Portal do Estudante de Graduação. No site, terão à disposição um formulário com informações pessoais e relativas à doença (sintomas, se e quando procurou atendimento, se fez exames, entre outras). Em caso de contato próximo com alguém que tenha positivado para Covid-19, o documento também traz orientações aos estudantes, professores e servidores sobre como proceder. Os estudantes também devem entrar em contato com o colegiado de seus respectivos cursos, que repassará as informações para a diretoria de centro.

No caso dos servidores, a notificação deve ser feita pelo Portal do Servidor. Cada setor da universidade deve ter um profissional responsável por descrever o quadro diário (se há positivados ou suspeitos, por exemplo). O plano também traz fluxos de orientação para servidores da Saúde que entrarem em contato com positivados ou suspeitos, bem como procedimentos de isolamento para esses profissionais.

Avanço da vacinação

O atual momento epidemiológico é de tranquilidade por conta da vacinação, segundo o vice-reitor. “No novo plano, damos destaque às vacinas. Afinal, é devido à vacinação que conseguimos controlar os casos graves e as mortes”, ressaltou, reforçando a necessidade de a comunidade universitária completar o esquema vacinal.

Para o retorno às aulas, o distanciamento de um metro entre carteiras não será mais uma exigência devido ao espaço físico disponível nas salas de aula. O grupo de trabalho tomou essa decisão com base em uma normativa do Governo do Estado. A obrigatoriedade do uso de máscara em espaços fechados da universidade, incluindo sala de aula, será mantida em todos os centros de estudo.

O vice-reitor reforçou a necessidade de engajamento da comunidade universitária para que o plano efetivamente funcione. “É importante que estejamos sempre em contato com o Sistema de Vigilância quando retornamos às aulas, pois uma coisa é uma universidade com servidores e residentes presencialmente; outra é uma universidade com muitos estudantes. Teremos que acompanhar de perto. Todos são responsáveis”, disse.

Segurança Sanitária

A integrante do grupo de trabalho e diretora de Avaliação e Informação Institucional da Pró-Reitoria de Planejamento, Elisa Tanaka Carloto, lembra que o momento epidemiológico é favorável a um retorno seguro, levando em consideração a adesão do maior público da UEL à vacinação e às medidas de segurança. “Nosso público prioritário, dos estudantes entre 20 e 30 anos, aderiu massivamente à vacinação. Até o mês de dezembro, todo esse público estará completamente imunizado. Por isso planejamos a volta”, afirmou.

AEN

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.