Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

As universidades Estaduais de Londrina (UEL), Maringá (UEM), Ponta Grossa (UEPG) e do Oeste do Paraná (Unioeste) estão classificadas entre as melhores do mundo segundo o World University Rankings 2020 da revista britânica Times Higher Education (THE).

O ranking avaliou quase 1,4 mil universidades em 92 países. As notas são baseadas em 13 indicadores que medem o desempenho das instituições em ensino, pesquisa, transferência de conhecimento e perspectivas internacionais.

Segundo o superintendente de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Aldo Bona, o ranking é reflexo do trabalho desenvolvido nas universidades “As universidades estaduais do Paraná sempre figuram entre as melhores do mundo e da América Latina pela qualidade das atividades de ensino, pesquisa e extensão”, afirmou. “A Superintendência de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior trabalha para fomentar novas ações e projetos que contribuam para a formação de bons profissionais e de pesquisas inovadoras no Estado”, acrescentou Bona.

Ensino

A UEL ficou classificada entre as 70 melhores universidades da América Latina e entre as 37 melhores do Brasil. A instituição cresceu no quesito ensino, alcançando a 22ª posição no país. A Unioeste também ficou entre as melhores universidades em ensino aparecendo na 28ª posição. O indicador é composto pela proporção de funcionários, alunos e professores doutores.

Indústria

Na UEM o destaque ficou na relação com a indústria, que mede a capacidade da universidade criar inovações e invenções para o setor produtivo. A categoria indica o grau de intenção das empresas em pagar por pesquisas e a capacidade de uma universidade atrair financiamentos. A UEM ficou classificada na 36ª posição nacionalmente e na América Latina alcançou a 90ª colocação.

Influência em pesquisas

A disseminação de conhecimento por meio de pesquisas científicas fez com que a UEPG esteja entre as 12 melhores universidades em citações do país.

A avaliação também mede a influência das pesquisas pelo número médio de vezes que o trabalho é citado por estudiosos em todo o mundo. A instituição também ficou em 91ª na América Latina. Os dados incluem mais de 23 mil periódicos acadêmicos indexados pelo banco de dados Scopus da Elsevier e todas as publicações indexadas entre 2014 e 2018.

AEN

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios