Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

As universidades Estaduais de Londrina (UEL), Maringá (UEM), Ponta Grossa (UEPG) e do Oeste do Paraná (Unioeste) estão classificadas entre as melhores do mundo segundo o World University Rankings 2020 da revista britânica Times Higher Education (THE).

O ranking avaliou quase 1,4 mil universidades em 92 países. As notas são baseadas em 13 indicadores que medem o desempenho das instituições em ensino, pesquisa, transferência de conhecimento e perspectivas internacionais.

Segundo o superintendente de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Aldo Bona, o ranking é reflexo do trabalho desenvolvido nas universidades “As universidades estaduais do Paraná sempre figuram entre as melhores do mundo e da América Latina pela qualidade das atividades de ensino, pesquisa e extensão”, afirmou. “A Superintendência de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior trabalha para fomentar novas ações e projetos que contribuam para a formação de bons profissionais e de pesquisas inovadoras no Estado”, acrescentou Bona.

Ensino

A UEL ficou classificada entre as 70 melhores universidades da América Latina e entre as 37 melhores do Brasil. A instituição cresceu no quesito ensino, alcançando a 22ª posição no país. A Unioeste também ficou entre as melhores universidades em ensino aparecendo na 28ª posição. O indicador é composto pela proporção de funcionários, alunos e professores doutores.

Indústria

Na UEM o destaque ficou na relação com a indústria, que mede a capacidade da universidade criar inovações e invenções para o setor produtivo. A categoria indica o grau de intenção das empresas em pagar por pesquisas e a capacidade de uma universidade atrair financiamentos. A UEM ficou classificada na 36ª posição nacionalmente e na América Latina alcançou a 90ª colocação.

Influência em pesquisas

A disseminação de conhecimento por meio de pesquisas científicas fez com que a UEPG esteja entre as 12 melhores universidades em citações do país.

A avaliação também mede a influência das pesquisas pelo número médio de vezes que o trabalho é citado por estudiosos em todo o mundo. A instituição também ficou em 91ª na América Latina. Os dados incluem mais de 23 mil periódicos acadêmicos indexados pelo banco de dados Scopus da Elsevier e todas as publicações indexadas entre 2014 e 2018.

AEN

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios

Utilizamos cookies e coletamos dados de navegação para fornecer uma melhor experiência para nossos usuários. Para saber mais os dados que coletamos, consulte nossa política de privacidade. Ao continuar navegando no site, você concorda integralmente com os termos desta política.