Digite pelo menos 3 caracteres para uma busca eficiente.

A UEM, de Maringá, e a UENP, do Norte do Paraná, ocupam nas três edições mais recentes  a 7ª e a 9ª posição no ranking. Resultado foi divulgado pela OAB e Fundação Getúlio Vargas.

A Universidade Estadual de Maringá (UEM) e a Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP) estão entre as dez instituições de ensino superior brasileiras que mais aprovam no Exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Nas três edições recentes do Exame, entre 2018 e 2019, as duas universidades estaduais ocuparam, respectivamente, a 7ª e a 9ª posição no ranking, com taxa de aprovação média de 64,1 e 62,2. Juntas, UEM e UENP somaram 210 candidatos aprovados, nos últimos dois anos.

O resultado foi divulgado na 4ª edição do estudo Exame da Ordem em Números, lançado na terça-feira (14), pela OAB e a Fundação Getúlio Vargas (FGV), instituição responsável pela organização e aplicação do Exame de Ordem Unificado, desde 2010.

O relatório apresenta um panorama geral das provas, com dados e estatísticas nacionais e regionais, tendo como base os resultados dos últimos 10 anos. A publicação inclui, ainda, o desempenho das universidades brasileiras e outras informações, traçando perfis do ensino superior em Direito, do mercado profissional dos advogados no País e socioeconômico dos estudantes.

Para o superintendente de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Governo do Estado, Aldo Nelson Bona, conhecer as instituições com mais aprovações na OAB é importante para os estudantes que pretendem ingressar no curso de Direito.  “Esse exame é uma das principais formas de avaliação da qualidade do ensino na área jurídica, ao mesmo tempo em que sinaliza a boa formação ofertada pelas universidades estaduais para o exercício profissional nesse campo do conhecimento”, afirma.

O Censo da Educação Superior do Ministério da Educação (MEC) aponta a graduação em Direito com o maior número de cursos no Brasil. A cada edição do Exame da OAB, as universidades públicas se destacam e ocupam o topo dos ranqueamentos, apresentando as melhores taxas de aprovação dos bacharéis.

As iniciativas de pesquisa e extensão têm balizado um padrão de excelência no processo de ensino e aprendizado dos estudantes do curso de Direito. É o que assegura o diretor do Centro de Ciências Sociais Aplicadas do campus sede da UEM, em Maringá, professor Romildo de Oliveira Moraes. “O currículo disciplinar é voltado para uma sólida formação teórica dos futuros advogados, alinhada à prática profissional”, destaca.

No Norte Pioneiro Paranaense, a UENP segue os mesmos padrões de excelência. O diretor do Centro de Ciências Sociais Aplicadas (CCSA) do Campus de Jacarezinho, professor Luiz Fernando Kazmierczak, ressalta a dedicação e o compromisso com o ensino jurídico de qualidade. “Esse resultado é fruto de um engajamento para promover o ensino voltado à realidade brasileira e à preparação dos futuros profissionais para o mercado competitivo”, salienta. "O envolvimento entre alunos da graduação e da pós-graduação, por meio dos cursos de mestrado e doutorado contribui para a boa formação dos profissionais”.

Outras instituições estaduais de ensino superior também integram a lista das IES mais bem classificadas nas três edições recentes do Exame de Ordem Unificado, segundo o critério de desempenho (taxa de aprovação média), com número de inscritos a partir de 100 candidatos.

A Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste) ficou posicionada em 18º lugar. Já a Universidade Estadual de Londrina (UEL) ocupa a 38ª posição, pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), posicionada em 41º lugar, com taxa de aprovação de 45,2.

Referência

Os cursos de Direito da UEM e da UENP têm se destacado em níveis nacional, regional e estadual, considerando todas as iniciativas oficiais de avaliação, a exemplo do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade), que atribui a nota máxima (5) para as duas universidades. A UENP, inclusive, mantém essa nota desde a criação do Enade, em 2004.

Em fevereiro deste ano, mais uma vez, UEM e UENP foram contempladas com o Selo de Qualidade OAB Recomenda - outorga promovida a cada três anos pelo Conselho Federal da OAB, como um reconhecimento aos cursos de Direito das IES brasileiras. A premiação se baseia no desempenho dos estudantes no Enade e no índice de aprovação dos bacharéis no Exame de Ordem Unificado.

Ambas as universidades conquistaram todas as edições do Selo de Qualidade OAB Recomenda, instituído em 2001. Na edição anterior, apenas 142 cursos dos cerca de 1.200 oferecidos em todo o Brasil receberam o prêmio. Nesta edição, dos 1.212 cursos que atendiam os critérios para participar da pesquisa, 161 foram agraciados. No Paraná, dos 126 cursos avaliados, apenas 16 IES foram contempladas.

AEN

Comentários:

Seja o primeiro a comentar!


Deixe seu comentário:

Aceita receber as novidades do Jornal União em seu e-mail?
* todos os campos são obrigatórios